Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

‘12 Anos de Escravidão’, ‘Ninfomaníaca – Parte II’ e ‘Tatuagem’ chegam aos cinemas de Manaus nesta quinta (13)

Mobilização do público cinéfilo nas redes sociais convence distribuidoras a trazer filmes fora do circuito blockbuster para a cidade

Drama sobre a escravidão do diretor Steve McQueen ganhou 3 Oscars, incluindo Melhor Filme

Drama sobre a escravidão do diretor Steve McQueen ganhou 3 Oscars, incluindo Melhor Filme (Reprodução/Internet)

É bem possível que uma mudança na mentalidade do público e das distribuidoras de cinema esteja tomando forma em Manaus. A julgar pelos resultados da campanha recente movida no Facebook por mais filmes fora do circuito blockbuster – ganhadores do Oscar, sucessos indie, novos trabalhos de diretores célebres – a capital amazonense pode finalmente vislumbrar uma programação mais variada para os amantes da sétima arte.

A chegada, nesta quinta-feira (13), de “12 Anos de Escravidão” - o drama do diretor Steve McQueen que ganhou três Oscars, incluindo Melhor Filme -; da segunda parte do polêmico estudo sobre uma mulher viciada em sexo em “Ninfomaníaca”, do dinamarquês Lars von Trier; e da vibrante ode à liberdade que é “Tatuagem”, do pernambucano Heitor Lacerda, são os frutos mais recentes dessa mobilização, que se esboça desde o fim do ano passado em Manaus.

O exemplo de ‘Azul’

O estopim foi o fato dos cinemas da cidade ignorarem a chegada de “Azul é a Cor Mais Quente” ao País. Ganhador de Palma de Ouro no Festival de Cannes, em 2013, o filme sobre o romance entre duas jovens francesas ganhou as telas até em cidades com menos salas de cinema do que Manaus, como Boa Vista (RR).

Interessados na obra começaram a se mobilizar para que as distribuidoras da cidade trouxessem o filme, e o burburinho chegou até a página oficial da empresa responsável por “Azul...” no Brasil. No dia 17 de janeiro, dois meses após a estreia nacional, a rede Playarte resolveu arriscar.

Com duas sessões lotadas num fim de semana, “Azul é a Cor Mais Quente” comprovou o interesse do público e inspirou novas mobilizações. Encabeçada pelos jornalistas Caio Pimenta, Diego Bauer, Susy Freitas, Camila Henriques e Ivanildo Pereira, além do cineasta Zeudi Souza, a página da rede social intitulada "Campanha por Filmes Alternativos em Manaus" vem promovendo enquetes, listando motivos para o público e as distribuidoras se interessarem pelo filme e divulgando seus méritos.

O esforço da trupe já influenciou na chegada de “Clube de Compras Dallas” à cidade, ainda que o filme, infelizmente, tenha ficado apenas um fim de semana em cartaz. Outro trabalho que agora ganha as telas locais, após longa carência, é justamente “Tatuagem”, vencedor do Grande Prêmio do Júri no Amazonas Film Festival de 2013, e mais um sólido exemplar da grande fase vivida pelo cinema pernambucano na atualidade.

Por sinal, o filme já teve um fim de semana de “teste” na cidade, a exemplo de “Azul” e “Dallas”, em fevereiro, e a recepção do público foi bastante animadora.

Novas campanhas

Mas o trabalho não para por aí. A lista dos filmes com pedidos de exibição pela campanha inclui a animação japonesa “Vidas ao Vento”, de Hayao Myiazaki, indicada ao Oscar de Melhor Animação, e os também oscarizáveis “Nebraska”, “Ela” e “Inside Llewyn Davis – Balada de um Homem Comum”, mais recente trabalho dos irmãos Coen.

Ainda é muito cedo para dizer se, com certeza, estamos diante de uma nova mentalidade no cinema amazonense. A recepção fria do público de Manaus ao brasileiro “O Som ao Redor”, de Kleber Mendonça Filho, e a “Anticristo”, o filme anterior de Von Trier, justifica a insegurança por parte das distribuidoras, que preferem continuar apostando em filmes de super-heróis e comédias brasileiras.

A participação do público para reverter esse quadro, recompensando os cinemas que trazem filmes ousados e fora do senso comum, é indispensável.


Confira os horários dos filmes em Manaus:

12 Anos de Escravidão

Cinépolis Ponta Negra

Sala 2 (VIP) – 15:10, 21h30 (Leg.)

Sala 8 – 18:30 (Leg)

Playarte Manauara

Sala não divulgada – 13:10, 15:45, 18:20, 20:55, 23:30 (Leg.)

Cinemais Millenium

Sala não divulgada – 15:10, 19:00, 21:35 (Leg.)


Ninfomaníaca – Parte II

Cinépolis Ponta Negra

Sala 3 (VIP) – 22:00 (Leg.)

Sala 10 – 20:00, 22:45 (Leg.)


Tatuagem

Playarte Manauara

Sala não divulgada – 19:10, 21:25, 23:40