Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Evento de MPB traz cantor e compositor Benito di Paula a Manaus, em junho

Cantor se apresenta na capital no dia 5 de junho durante projeto 'Rio Samba Show'. Em entrevista, Benito revela que show fará um apanhado da sua carreira

Benito di Paula irá tocar sucessos como "Retalhos de cetim", "Charlie Brown" e "Mulher Brasileira"

Benito di Paula irá tocar sucessos como "Retalhos de cetim", "Charlie Brown" e "Mulher Brasileira" (Reprodução)

É difícil não conhecer ao menos uma canção do compositor, cantor e pianista Benito di Paula, mesmo tendo seus 20 e poucos anos. Afinal, o fluminense, nascido em Nova Friburgo (RJ), compôs tantos sucessos em seus mais de 40 anos de carreira, como “Retalhos de cetim”, “Charlie Brown”, “Mulher Brasileira”, entre outras, que fica difícil não ter escutado em alguma rádio ou na voz de alguém no karaoquê. Esses e outros clássicos da Música Popular Brasileira (MPB) serão relembrados no projeto “Rio Samba Show”, que, nesta edição, contará com o show do próprio Benito di Paula, dia 5 de junho, no Dulcila Festas e Convenções.

Com mais de 50 milhões de discos vendidos no mundo, o artista já compartilhou algumas das suas canções com Roberto Carlos, entre elas “Amanheceu” e “Quero ver você de perto”. Para di Paula, retornar a cidade de Manaus, depois de tantos anos, será divertido.

“Eu gosto muito de Manaus. Tenho saudade da Zona Franca, que era muito legal e divertida. O povo da cidade é acolhedor, sempre fui tratado com bastante carinho. Não me lembro quanto tempo faz que não visito aí, não me lembro nem o que almocei hoje”, diverte-se o pianista.

Show

O repertório será um apanhado da carreira de di Paula, porém, pedidos podem ser feitos, conforme disse o próprio artista: “Eu canto tudo o que povo quiser ouvir de Benito di Paula. Canto isso e muito mais! Faço homenagem para Ataulfo Alves e Ary Barroso. Ainda há o mais importante, o meu convidado especial, Rodrigo Vellozo, que é meu filho, e que tem um show dentro do meu show”.

Para ele, todas suas músicas são especiais, mas a favorita é sempre a que está por vir. “A que mais gosto é a que não compus. Gosto de todas, porque o povo gosta. A gente tem que fazer o que o povo manda, o que o povo quer, merece, e eu faço com o maior carinho. Sou um artista do povo, faço questão sempre de dizer isso”.

Paradas de sucesso

As rádios brasileiras estão no momento apostando no sertanejo universitário e arrocha, de gente como Israel Novaes (“Vó, to estourado”), Gusttavo Lima (“Doidaça”), Fernando & Sorocaba, Luan Santana, Jorge & Mateus, entre outros. Boa parte dessas canções conta com letras vazias, nada poéticas, mas, para di Paula, não há problema nesta seleção feita pelas rádios porque todos os artistas precisam trabalhar.

“É muito complicado falar do trabalho dos outros, porque parece que uma hora você fala mal e outra fala bem. Todo mundo tem o direito de ir e vir, todo mundo tem o direito de trabalhar. Falo isso com honra e orgulho que não tenho nada contra ninguém. Não estou aqui para falar mal de sertanejo, pagodeiro, de ninguém. Tem muita gente boa que não aparece e tem muita coisa rolando que é igual. Isso é errado? Não é. Pode melhorar? Pode. É só cada um não copiar o que o outro está fazendo, não contar a mesma história, não ter a mesma roupa, penteado, porque já é algo manjado. Um conselho que deixo: faça a sua personalidade. Esse pessoal canta bem, bem mesmo. Parabéns! Faça o que quiser com esse País. Esse País é de vocês, mas o Brasil é meu”.

Projeto

Sem gravar desde o ano de 2009, quando lançou pela EMI Music seu primeiro DVD ao vivo, gravado no Vivo Rio, o cantor revelou que no momento está trabalhando num álbum de inéditas. “Terá alguns convidados, poucos, mas bons. Estou tocando este projeto para frente, porque a música popular brasileira não para, não vai parar nunca!”.