Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Ex-Miss Amazonas encontrou amor e sucesso nas Filipinas

Aos 30 anos, Priscilla Meirelles hoje provavelmente é nossa estrela de maior grandeza no outro lado do mundo mas mantém a simplicidade e os pés no chão

Priscilla sendo coroada Rainha do Peladão em 2003, prêmio que lhe consagrou

Priscilla sendo coroada Rainha do Peladão em 2003, prêmio que lhe consagrou (Antônio Lima)

Ela permanece sendo uma das belezas amazônidas mais proeminentes - é dela as coroas de Rainha do Peladão, Miss Amazonas Globo, Miss Brasil Globo, Miss Globo Internacional, Miss Amazonas, Beleza Amazonas, Beleza Brasil e Miss Terra.

Esta última, conquistada em 2004, foi seu bilhete de ida para as Filipinas, país onde alcançou sucesso como modelo e tirou a sorte grande no amor. Aos 30 anos, Priscilla Meirelles hoje provavelmente é nossa estrela de maior grandeza no outro lado do mundo e, mesmo assim, mantém a simplicidade e os pés no chão.

“Um homem não é nada e não chegará a lugar nenhum sem um sonho para perseguir”, disse em entrevista ao JORNAL A CRÍTICA. Desde que foi residir em Manila (capital das Filipinas), Priscilla virou rosto conhecido pelos trabalhos para os quais era requisitada.

Ficou ainda mais em evidência quando iniciou o namoro com John Estrada, ator local. “Relacionamentos em geral demandam constante ajuste, e o meu com o John ainda mais por causa das diferenças culturais. O fato dele ser bastante famoso complica um pouco... por isso ele decidiu que eu me tornasse sua empresária, para planejar sua carreira, agenda e controlar o assédio”, disse. 

Trabalhos

Dentre os trabalhos de maior destaque que Priscilla fez nas Filipinas estão campanhas para marcas famosas como Nescafé, Carefree, Palmolive, Olay, além de sua participação este ano no Celebrity Dance Battle (versão filipina da “Dança dos Famosos”).

Tanta repercussão teria algo a ver com sua possível beleza exótica? Pelo contrário: o público se identifica com ela. “Até hoje as pessoas pensam que eu sou metade filipina. Eles falam que a minha beleza lembra a da mulher filipina mestiça. E os nativos daqui lembram os da Amazônia. Acredito que é por isso que pude e posso até hoje trabalhar muito por aqui”, frisou.

Concursos: uma via

A modelo é prova viva de quão longe se pode chegar por meio dos concursos de beleza. Para as que desejam trilhar este caminho, ela faz o alerta. “Incentivo as meninas a participarem de concursos, mas também incentivo-as a pesquisaram e se envolverem em competições sérias e sempre terem ao seu lado alguém da família para ajudá-las e guiá-las”.

Dividindo-se entre os muitos projetos - os próximos, ela diz, serão estrelar uma novela filipina e comandar um café brasileiro - Priscilla ainda é mãe de Anechka, de 2 anos e meio. A agenda cheia tem lhe impedido de visitar o Brasil desde que a filha nasceu, mas sua vinda está certa em outubro para o casamento do irmão.

“Morro de saudades da comida e da minha família. Mas se tivesse o poder de voltar ao tempo e mudar algo, não mudaria nada. Tudo valeu muito a pena”.