Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

‘Hormônio do amor’: abraços produzem série de benefícios à saúde física e mental

Um abraço de 20 segundos libera no corpo humano a oxitocina, o “hormônio de amor”. O ato tem efeito terapêutico sobre o corpo e a mente

O casal Raquel Guerra e Alex Braga usam o gesto para suprir a saudade de familiares

O casal Raquel Guerra e Alex Braga usam o gesto para suprir a saudade de familiares (Antônio Lima)

Que todo mundo gosta de um abraço não é novidade para ninguém. O que poucos sabem, no entanto, é que, quando o gesto dura em torno de 20 segundos, há um efeito terapêutico sobre o corpo e a mente.

Isso acontece porque um abraço sincero libera o hormônio oxitocina, conhecido também como “hormônio do amor”. A substância traz uma série de benefícios à saúde física e mental, ajudando-nos, por exemplo, a relaxar e controlar medos ou ansiedades.

Juntos há 14 anos, o casal Raquel Guerra e Alex Braga era um dos muitos que desconheciam as utilidades do gesto. A dupla, porém, não ficou surpresa com o tanto de melhoria que a demonstração de afeto traz ao corpo e à mente.

“Quando nos abraçamos, sentimos amor, carinho e uma sensação de aconchego e proteção. Com um abraço verdadeiro, a gente consegue se sentir verdadeiramente amado um pelo outro”, apontou Alex.

Nascido no Rio Grande do Sul, o casal destaca outro sentimento que é superado pelo gesto: a saudade. “Uma das situações em que sempre o abraço se faz presente, e nos deixa mais feliz para seguir em frente, é quando ficamos sem ver alguém muito querido por certo tempo. O abraço, nesse momento, é tão gostoso que sacia aquele sentimento da saudade e a sensação é de que estamos começando tudo a partir daquele momento”, acrescentou Raquel.

Amizade

No caso das amigas Emanuelle Araújo e Ana Luísa Alverca, o abraço é o gesto ideal para celebrar a amizade. “Na verdade, em vários momentos o abraço se faz necessário: revendo os amigos, matando a saudade de alguém ou em momentos de reconciliação, por exemplo”, enumerou Emanuelle, que aproveitou a entrevista para fazer uma crítica.

“As famílias estão deixando de se abraçar. Se os pais abraçassem mais os seus filhos, com certeza evitariam brigas e distanciamentos. Hoje em dia, as pessoas estão perdendo esse contato”, rebateu ela. “O abraço passa a sensação de amor, confiança, respeito e segurança. E o Natal é a época perfeita para abraçar muito (risos)”, brincou.

Bolsista no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), o estudante Jelmir Andrade concorda com Emanuelle. “Além dos benefícios à saúde, a oxitocina causa bom humor e deixa a pessoa mais tranquila. É um efeito mais sentimental”, frisou o estudante, ressaltando que as reações variam de acordo com a pessoa que está sendo abraçada. “Se você estiver abraçando o seu namorado ou namorada, por exemplo, a sensação será diferente da de um abraço em um amigo”, encerrou.

Poderosas

E quando há a liberação da oxitocina, são as mulheres que saem na frente. Isso porque os hormônios femininos, quando combinados com a substância, tornam-na ainda mais poderosa. E o melhor de tudo é que nada indica que a produção da oxitocina vá diminuindo com o passar do tempo.  Na juventude ou na velhice, ela está sempre entrando em ação.

Saiba mais

A oxitocina é produzida no hipotálamo, na região central do cérebro. Foi comprovado que animais ricos dessa substância tendem a ser mais fiéis em suas relações.

Faz bem à saúde

Além da oxitocina, o abraço também pode liberar endorfinas, as mesmas substâncias químicas liberada após um bom exercício físico ou quando você come chocolate. Ela também contribui para o bem-estar.

Sexy - Entre um casal, o benefício mais visível é no sentido físico. Junto a isso, há também a liberação de dopamina, um outro hormônio que aumenta o desejo sexual.

Redução de estresse e pressão arterial - O contato físico com outras pessoas pode ajudar a reduzir o estresse. Abraçar e beijar aumentam os níveis de oxitocina, o que pode ajudar a diminuir a pressão arterial e reduzir o risco de doenças cardíacas, estresse e ansiedade.

Ligação maternal - O abraço também é saudável por conta do apego emocional. A oxitocina está intimamente ligada ao parto e à amamentação. Segundo um estudo, tem um papel biológico na ligação entre a mãe e o bebê.

Ajuda na comunicação - As pessoas querem se sentir compreendidas e o abraço pode ser o veículo que transmite compreensão e empatia. A comunicação não-verbal pode ser uma forma muito poderosa de falar com seu parceiro sobre sentimentos.