Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Blogueiras amazonenses dão dicas de como montar o look perfeito com o xadrez

Em camisas, calças, saias ou shorts, trata-se de um item fácil de combinar, alegre, colorido e super alinhado com o frescor da temporada

A estampa é a cara das festas juninas

A estampa é a cara das festas juninas (Divulgação)

Na hora de compor o visual para aproveitar as festas juninas e sua incrível gastronomia, não há duvidas de que o uniforme oficial é a estampa xadrez/quadriculada. Em camisas, calças, saias ou shorts, trata-se de um item fácil de combinar, alegre, colorido e super alinhado com o frescor da temporada. E nem é preciso se limitar a uma produção literalmente caipira - a estampa pode ganhar ares fashion com acessórios e composições que duas blogueiras amazonenses fizeram questão de indicar para os leitores do VIDA & ESTILO.

Dona do blog “Oui Love” (http://ouilove.com.br) e colunista de A CRÍTICA, Patricia Ruiz avisa logo de antemão que o xadrez está longe de ser um item datado. “É uma peça clássica, curinga, que combina com tudo. Já está há um bom tempo nas semanas de moda nacionais e internacionais e veio pra ficar”, opina.

As possibilidades são infinitas, sendo tudo uma questão de estilo, conforme as palavras de Patricia, que deu dicas de acordo com a sua personalidade. “Gosto de usar com calça preta, branca ou jeans bem rasgado, um scarpin preto, ou até mesmo um tênis descolado. Associo o xadrez ao fashion, despojado, o punk chic fora do óbvio”.

Já Dila Kotinski, do blog “Tô Chique” (tochique.com) ressalta que é preciso ter cuidado com os estereótipos se estes não forem intencionais. “O xadrez ficou extremamente popular nos anos 80 e 90 por causa da era grunge e punk, principalmente pela banda Nirvana. Por isso, é muito utilizado por rockeiros e punks para compor seus respectivos looks e estilo. Se você não faz parte de nenhum desses grupos e nem pretende se parecer com eles, evite usar peças que possam lhe confundir com um rockeiro. Por exemplo, usar camisa xadrez, com calça rasgada, botas pretas, pulseiras de couro, vários anéis, um make pesado, cinto com tachinhas e/ou spikes. Pois é, esse é um típico look rockstar”, alerta a blogueira.

Linha discreta

O padrão marcante do xadrez, por si só, faz com que a produção não passe despercebida nas ruas. Mas é perfeitamente possível manter uma linha mais comportada se assim se desejar. “Um dos looks mais elegantes que acho é a camisa tartan [estilo de xadrez] com uma saia lápis e scarpin. Ou camisa lisa, saia lápis xadrez e saltos. Não tem erro”, indica Dila. O clássico jeans liso, na opinião de Patricia Ruiz, é outra opção discreta. “Existem no mercado estilos e cores diferentes dos xadrez, basta escolher”.

Fugindo do literal

É certo que a tradição da festa junina remete a uma comemoração popular, típica, com ares rústicos. A produção, no entanto, não precisa ser tão literal - as mais fashionistas podem optar por acessórios que dão um ar elegante à produção.

“Procure usar peças que possam agregar um toque sofisticado ao ‘look caipira’. Por exemplo: camisa xadrez com uma saia de tecido fino, mais delicado, fica chique e bem feminino. Evite fazer as pintinhas no rosto, deixe isso para as crianças usarem durante as festas juninas. Montar um look hi-lo, - ou seja, misturar peças baratas com mais caras -, é uma boa opção. Invista nos acessórios: colocar um max colar bem bonito, faz toda a diferença no look”, descreve Dila Kotinski.

A origem na história

A blogueira Dila Kotinski explica que o xadrez foi originado do tartan, tecido com uma história um tanto curiosa. “É uma das estampas mais antigas que se tem conhecimento; a origem de estampas geométricas é sempre associada aos escoceses, mas, de acordo com historiadores, essas estampas remontam aos antigos celtas”, explica. “Daí ela ficou mais popular mesmo em meados do XVIII, quando os clãs escoceses começaram a usar para diferenciá-los, ou seja, cada clã tinha a sua cor de tartan, sua estampa. Nesse caso, era uma assinatura, uma espécie de brasão das famílias escocesas – e só quem pertence a essas famílias pode usá-lo”.

Dila ressalta a diferença entre esta peça e o xadrez popular que conhecemos. “Trata-se daquele tipo toalha da mesa, a cortina da cozinha da avó, aquele xadrez da camisa do lenhador ou do cara que curte grunge. É só notar que as suas linhas seguem um padrão diferente do tartan”.

Onde encontrar

Ainda dá tempo de montar o seu próprio look junino chique - achar itens está mais fácil do que se imagina. “Hoje em dia, nas grandes lojas de departamento, encontra-se fácil”, diz Patricia Ruiz. “Manaus tem muito mais opções do que há uns dois anos. Abriram diversas lojas de departamentos para os mais variados públicos e gostos. Todas as camisas que usei para montar esses looks, foram compradas em fast fashion”, reforça Dila Kotinski.