Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

‘Braggies’são para causar inveja

Apesar de já ser uma prática corriqueira na Internet, as fotos “braggie” ainda não tinham recebido um nome próprio, como acabou acontecendo com a sua irmã “selfie”

‘Braggies’são para causar inveja

‘Braggies’são para causar inveja (Reprodução/Instagram)

Mal o dicionário Oxford elegeu “selfie” (os famosos autorretratos) como a palavra do ano de 2013, uma nova nomenclatura já promete dominar a lista de hashtags mais utilizadas nas redes sociais. A palavra em questão é “braggie”, que define a típica foto clicada para causar inveja nos seguidores do Facebook, Instagram ou Twitter – seja com uma praia paradisíaca como cenário ou na balada com os amigos, numa noite de sábado em que alguém está entediado em casa.

Apesar de já ser uma prática corriqueira na Internet, as fotos “braggie” ainda não tinham recebido um nome próprio, como acabou acontecendo com a sua irmã “selfie”. Por isso, a tendência é que a palavra seja cada vez mais usada pelos usuários. No Instagram, por exemplo, a tag já ultrapassou a marca de mil publicações.

O fenômeno entrou em evidência após uma pesquisa encomendada pelo site Hotels.com, revelando que um em cada dez usuários posta uma “braggie” para se gabar. De acordo com o estudo, 5,4 milhões de britânicos publicam esse tipo de imagens durante as férias – muitos até mesmo 10 minutos após chegarem ao seu destino final.

Nesses casos, o que vale é despertar inveja compartilhando a vista da janela do quarto de hotel, dentre outros pontos do roteiro turístico, como bares e restaurantes.

No dia a dia, uma parada na temakeria, um grande show ou um evento VIP também entram no rol das “braggies”, mas as poses campeãs, de acordo com o Hotels.com, são na praia (43%), bebendo um drinque (12%) e fazendo beicinho (3%). Ainda segundo o levantamento, 35% dos entrevistados admitiu que, com esse tipo de foto, a intenção é parecer mais popular e interessante aos olhos dos seguidores, além de incrementar o número de curtidas e de comentários nos próprios perfis.

Questão de Interesses

Embora o fotógrafo Eduardo Gomes (@edu_photo) ainda não tivesse ouvido falar no termo, ele já tinha percebido a tendência “braggie” nas redes sociais. Depois de aderir ao Instagram somente no fim do ano passado (após alguma resistência), ele conta que ainda vem se familiarizando com a prática. “Tem muita gente que não está no aplicativo para ver fotos bonitas. As pessoas estão mais interessadas em mostrar onde, com quem e o que estão fazendo”, comenta ele.

Inclusive, Gomes diz já ter feito um teste: no dia 3, postou uma foto da lua, um belo registro fotográfico; dois dias depois, compartilhou uma foto sua junto de uma amiga em uma casa noturna. “A da lua foi a mais decepcionante, foram duas curtidas e uma delas foi da minha irmã, então não conta”, brinca ele. Por outro lado, a imagem na balada foi a mais bem avaliada do seu perfil até então.

Inveja x Desejo

Conhecida pelas deslumbrantes fotos da Amazônia publicadas em seu perfil no Instagram, a fotógrafa e artista visual Gisele Alfaia (@giselealfaia_) acredita que a Internet é um espaço democrático e não costuma fazer críticas ao “comportamento fotográfico” de quem usa a rede social. “Mas eu tenho a minha escolha. Não posto quase nada pessoal”, explica.

Ela lembra da época em que postava seus registros da natureza no Facebook e eles nunca alcançavam a mesma popularidade que as suas fotos pessoais. No Instagram, ela conseguiu inverter essa dinâmica. Hoje, ela é seguida por mais de 2.600 pessoas no aplicativo, especialmente de fora do Brasil. Assim, a fotógrafa acredita despertar nos usuários, no lugar da inveja, o desejo em conhecer uma das regiões mais fantásticas do planeta.

“Isso é maravilhoso. Adoro quando os amazonenses que moram fora daqui ficam saudosos vendo minhas fotos e as mostram para outras pessoas como um referencial do que é a Amazônia”, declara. “Ao mesmo tempo em que muitas pessoas querem saber da vida dos outros (algo natural e humano), também tem gente interessada no belo. Você que escolhe o que ver”, conclui.

Saiba mais

A origem do termo “braggie”é o verbo “brag”, que significa “gabar-se”, “contar vantagem”, “enaltecer-se” ou “vangloriar-se”. Portanto, a palavra só reforça a ideia de que esse tipo de foto é feita para “inflar” o ego de quem fez o registro.