Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

A região norte em uma jornada pelo mundo do cinema

Histórias de moradores de Tocantins e Rondônia fazem parte do projeto nacional patrocinado pela Petrobras 

Histórias de moradores de Tocantins e Rondônia fazem parte do projeto nacional patrocinado pela Petrobras

Histórias de moradores de Tocantins e Rondônia fazem parte do projeto nacional patrocinado pela Petrobras (Arquivo/ Acritica)

A região Norte está representada na quinta edição do Concurso Nacional de Histórias do Revelando os Brasis, que selecionou 20 moradores de pequenas cidades de vários estados brasileiros para participar de uma jornada pelo mundo do cinema. Com patrocínio da Petrobras, o grupo embarcou para o Rio de janeiro para frequentar as aulas de cinema e produção audiovisual, por iniciativa do Instituto Marlin Azul.

Como nas edições anteriores, os filmes do projeto serão lançados em DVD com distribuição gratuita entre organizações sociais e culturais, bibliotecas, universidades e cineclubes de todo o Brasil. Dentre as histórias selecionadas, contos amazônicos de uma pedreira tocantinense e de uma vendedora rondoniense farão parte do enredo cinematográfico que deverá ser rodado nos próximos meses.

As Oficinas de Formação e Realização Audiovisual  aconteceram no Centro Cultural da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Além de introdução à linguagem audiovisual, os alunos ainda participaram de aulas sobre roteiro, direção, produção, fotografia, direção de arte, som, edição e finalização, pesquisa, mobilização, direitos autorais e comunicação colaborativa. Após as oficinas, os selecionados retornarão às suas cidades para transformar as histórias reais - ou inventadas - em filmes com até 15 minutos de duração.

A coordenadora do Revelando os Brasis, Beatriz Lindenberg, afirma que “o apoio da Petrobras tem sido primordial para fazer o projeto acontecer”. Este ano, o grupo selecionado é formado por dez professores, três jornalistas, dois produtores culturais, uma pedreira, um vendedor, uma estudante, um sociólogo e um ferroviário aposentado. “Essa quinta edição está especial e, certamente, teremos histórias muito interessantes pra contar e mostrar”, revela.

Histórias da Amazônia

Selecionado entre mais de 900 concorrentes, o curta “Mulher Guerreira” contará a história de Carlucia Soares, 26 anos, tocantinense nascida na comunidade quilombola Mimoso. Casada e mãe de quatro filhos, ela é a única a exercer a profissão de pedreira em sua comunidade natal e narrará as dificuldades e o preconceito que enfrentou ao longo dos anos, mostrando uma trajetória de superação.

“Essa oportunidade é tudo pra mim. Faz eu sentir o quanto eu sou importante. Meu objetivo agora é despertar na sociedade que todo ser humano tem valor, destacando a igualdade entre homens e mulheres, independentemente de cor, sexo, religião e profissão”, revela.

Já a história real dos irmãos que, no meio de um seringal, trocam a irmã mais nova por um papagaio será o enredo do curta “A Troca”, da vendedora e estudante de Letras Joelma Silva Ferreira, 42. Natural de Candeia do Jamari, em Rondônia, Joelma ressaltará, em roteiro, um conto de humor, com foco na inocência dos personagens envolvidos nessa inusitada troca.

“Foi uma alegria muito grande ser selecionada nesse projeto da Petrobras. Gosto de escrever, participo de clubes de leituras e encontros de literatura. Mas essa é uma oportunidade única de aprender e multiplicar esse conhecimento. Quero voltar para minha comunidade e fazer um trabalho de mobilização em prol da cultura, da literatura, da leitura e da escrita”.