Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Menos de 5% dos casos de disfunção na tireoide resultam em sobrepeso

Homens são os menos afetados com o diagnóstico. Casos são mais frequentes em mulheres acima dos 30 anos, devido às oscilações hormonais

Homens são os menos afetados com o diagnóstico

Homens são os menos afetados com o diagnóstico (Reprodução/Internet)

 Após diversas tentativas “em vão” para emagrecer, você já ouviu comentários do tipo: “podem ser os hormônios” ou se tratar do Hipotireoidismo? Saiba que ganhar peso devido a tireoide pode ocorrer, mas justifica apenas menos de 5% dos casos de sobrepeso, de acordo com Cristina Magro, médica endocrinologista da Unimed Costa Oeste. Isso porque, com esta disfunção, algumas substâncias se acumulam nos tecidos e retêm líquido ao mesmo tempo em que diminui a filtração dos rins. “Com isso, a pessoa pode adquirir de três a seis quilos, mas sem ganho de gordura, apenas de líquidos”, observa.

A tireoide

A tireoide fica no pescoço, logo abaixo do “pomo-de-adão”, mais visível nos homens. Neste local, há uma glândula regida pela hipófise, que secreta hormônios para todo o organismo, um deles o TSH, que estimula a produção de Triidotironina (T3) e Tiroxina (T4). “Quando esta produção é insuficiente, ocorre o Hipotireoidismo, que deixa o corpo mais lento e desacelera o metabolismo, o que resulta na dificuldade de perder peso”, observa Cristina. Outros sintomas são: aumento do cansaço, músculos mais sensíveis, unhas fracas e pouca concentração.

Na mulher

Segundo a médica, as mulheres são mais afetadas pelas disfunções tireoidianas. Ou seja, de acordo com a médica, em um grupo com dez pessoas diagnosticadas com Hipotireoidismo, apenas um é homem. Os casos, por sua vez, são mais frequentes em mulheres acima dos 30 anos, porém, podem ser acometidas em qualquer idade. “As causas podem ser genéticas”, destaca Cristina.

O que ocorre com frequência, conforme relato da endocrinologista é um diagnóstico tardio, por confundir os sintomas com o estilo de vida: alimentação deficiente, sedentarismo, trabalho em excesso, que podem resultar em situações similares aos problemas na tireoide. “Desanimo, câimbras, queda de cabelo, pele ressecada, irregularidades no ciclo menstrual e sensibilidade exagerada ao frio, são alguns indicativos do Hipotireoidismo”, explica.

O que fazer

A médica explica que o tratamento adequado é direcionado pelo especialista com o uso da reposição do hormônio da tireoide via oral.

*Com informações de assessoria.