Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Cirurgia Bariátrica: quando há indicação?

A cirurgia proporciona excelentes resultados, mas pode haver um ganho de peso após os dois primeiros anos

A boa notícia é que a cirurgia bariátrica está evoluindo cada vez mais e Manaus está participando ativamente desse processo

O paciente deve parar de fumar, já que o tabagismo eleva muito o risco cardiovascular, (Reprodução)

Voltada ao tratamento da obesidade, a cirurgia bariátrica reduz a capacidade do estômago (restritiva) ou, além disso, atua no processo de absorção de nutrientes, já que parte do intestino é ressecada (mistas).

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), o número de cirurgias bariátricas realizadas no Brasil aumentou quase 90% nos últimos cinco anos, atingindo a marca de 72 mil em 2012. A informação é endocrinologista Claudia Chang, Doutora (PhD) em Endocrinologia e Metabologia pela USP, Coordenadora e Professora da Pós-Graduação em Endocrinologia do ISMD - Instituto Superior de Medicina – (CRM 110155).

A técnica, que deve ser indicada por um endocrinologista, é direcionada para pacientes com grau 3 de obesidade, ou Índice de Massa Corporal (IMC, que é a relação do peso/altura ao quadrado) ≥40 ou obesidade grau 2 (IMC≥35) com doenças decorrentes da obesidade (diabetes, pressão alta, alteração colesterol, apneia grave).  

Há diversas recomendações pré-operatórias. Uma delas é que o paciente pare de fumar, já que o tabagismo eleva muito o risco cardiovascular, sendo que, pela própria condição de obeso, ele já tem outras alterações que elevam o risco cardíaco como pressão alta, alteração de colesterol e diabetes. Já o pós-operatório deve ser monitorizado, introduzindo uma alimentação a base de dieta líquida, depois pastosa e, finalmente, sólida.

A cirurgia proporciona excelentes resultados, mas pode haver um ganho de peso após os dois primeiros anos. É possível que o paciente recupere até 10% do peso mínimo. Por exemplo, um paciente que pesa 140kg pode atingir, após a cirurgia, o peso mínimo de 80kg e, depois de dois anos, recuperar até 8kg. No entanto, este ganho é esperado. É preciso, somente, que o paciente mantenha seu peso com alimentação equilibrada e prática de atividade física regular.