Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Coração Saudável no Carnaval: cuidado com a mistura de álcool e energético, calor intenso e a privação do sono

 Cardiologistas da Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas fazem alerta sobre os abusos durante a folia

Boa alimentação é caminho certo para coração saudável

As arritmias podem atingir pessoas de qualquer sexo, classe social e faixa etária, podendo acometer também atletas e pessoas ativas (Reprodução/Internet)

A maior festa popular do país está chegando e, além de muita alegria, descontração e música, infelizmente, alguns abusos por parte dos foliões marcam o Carnaval. E podem resultar em doenças sérias, como alguns tipos de arritmias cardíacas. Especialistas membros da Sociedade Brasileira de Arritimias Cardíacas (Sobrac) alertam para os exageros cometidos nesse período, que podem estragar a festa. “O grande problema é quando as pessoas exageram e desrespeitam os limites do próprio corpo”, diz o Presidente da SOBRAC, o cardiologista baiano Luiz Pereira de Magalhães.

Entre os principais fatores de risco está a associação entre álcool e bebidas energéticas. “Esta mistura, ou seu consumo excessivo, pode funcionar como catalizador para a geração de algumas arritmias cardíacas, como as extra-sístoles - arritmia supraventricular e ventriculares -, e a fibrilação atrial”, alerta Magalhães, que também é coordenador do Serviço de Eletrofisiologia do Hospital Universitário Prof. Edgard Santos, do Hospital Ana Nery (UFB) e do Serviço de Arritmia do Hospital Português.

Existe inclusive um quadro chamado de “Holiday Heart Syndrome” (Síndrome do Coração do Feriado), relativo ao desenvolvimento de fibrilação atrial relacionado a épocas de mudança de hábitos, geralmente com grande ingestão de álcool em um período muito curto, como no Carnaval. As extra-sístoles, junto com a fibrilação atrial, estão muito relacionadas à ingestão alcoólica, tabagismo e desidratação. “Cada dose de bebida alcoólica aumenta em quase 10% a chance de se apresentar um episódio de fibrilação atrial. Além disso, os energéticos podem contribuir para o aparecimento das arritmias cardíacas, já que esses contém cafeína”, lembra o cardiologista gaúcho Leandro Zimerman, Chefe do Setor de Arritmias Cardíacas do Hospital Moinhos de Vento e do Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

O Carnaval acontece em pleno verão brasileiro e, em boa parte do território nacional, os termômetros marcam elevadas temperaturas. Segundo Zimerman, o calor excessivo aumenta o risco de eventos cardíacos, incluindo o infarto e a morte súbita cardíaca, muito provavelmente em virtude da desidratação e perda de eletrólitos (sódio, potássio).

O cardiologista carioca Eduardo Saad, diretor científico da SOBRAC, especialista em arritmias e estimulação cardíaca artificial pela Cleveland Clinic Foundation (EUA), médico do Hospital Pró-Cardíaco, explica que o calor excessivo leva a um maior consumo de oxigênio pelo miocárdio e, portanto, requer maior demanda na sua função. Frente a corações com distúrbios elétricos ou entupimentos das artérias coronárias, as altas temperaturas podem aumentar o risco de alterações agudas no sistema elétrico (arritmias) e na irrigação de sangue (isquemia). “As arritmias não são causadas apenas pelos excessos. O coração tem um distúrbio que predispõe aos problemas elétricos que podem aparecer mais facilmente quando expostos aos fatores de risco”, diz Saad.

Portadores de doenças cardiovasculares

O presidente da SOBRAC, Luiz Magalhães, alerta também os portadores de alguma doença cardiovascular. O mais correto é que estes se submetam a avaliação médica cardiológica para esclarecimento diagnóstico e orientação mais adequada para atividade física e ingestão de bebidas. Desta forma, estarão mais seguros e poderão aproveitar a folia de maneira saudável, porém com moderação.

As arritmias podem atingir pessoas de qualquer sexo, classe social e faixa etária, podendo acometer também atletas e pessoas ativas. Por isso, sensações recentes e intensas, como palpitações, dor no peito, falta de ar e desmaios, devem ser investigadas. O recomendado é que, a qualquer um destes sintomas, procure atendimento médico com brevidade. “Portadores de insuficiência cardíaca (coração fraco e dilatado), de arritmas cardíacas significativas e isquemia cardíaca devem participar de festas com moderação, mas evitar bebida em excesso, exercício intenso e desidratação”, observa o cardiologista Eduardo Saad.

A privação do sono é outro aspecto relevante que os foliões devem prestar atenção. A falta de repouso eleva as chances de problemas cardíacos, como a pressão arterial, a isquemia e as arritmias cardíacas. “O coração pode ficar mais rápido e mais irregular, já que a falta de sono deixa a pessoa com uma carga de adrenalina aumentada por mais tempo, que é a principal causa desses problemas”, explica o cardiologista gaúcho Leandro Zimerman.

O Carnaval não é o limiar entre a saúde e a doença cardiovascular. O que pode tender para um lado é a alegria, a felicidade, a saúde e os aspectos fundamentais de uma vida saudável. Por outro, os excessos, constantes neste período. Portanto, respeite os limites do seu corpo. Seguindo estas recomendações, você aproveitará o Carnaval no ritmo certo, sem sustos.