Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Uma nova história para o ‘Sítio da Preguiça’

Premiado projeto construído por Severiano Mário Porto e restruturado por Roberto Moita será colocado à venda

A fachada arquitetônica da casa principal. O projeto original de Severiano Mário Porto foi restaurado por Roberto Moita

A fachada arquitetônica da casa principal. O projeto original de Severiano Mário Porto foi restaurado por Roberto Moita (Divulgação)

Em um cenário exuberante, em meio a maior floresta tropical do planeta, está um dos maiores exemplos da sábia intervenção humana na natureza: o Sítio da Preguiça, localizado às margens do Igarapé do Mariano, afluente do Rio Tarumã, é um projeto único de habitação voltado para o lazer, que encanta a todos que o conhecem.

As origens desse imóvel remetem à construção da residência em madeira na década de 1970, pelo renomado arquiteto brasileiro Severiano Mário Porto, que presenteou o amigo de trabalho na época, o topógrafo austríaco Robert Schuster, com o projeto. Adquirido em 1996 pelo empresário paulista radicado em Manaus Edson Gil Costa, o imóvel foi completamente restaurado e ganhou um novo plano de habitação, sob a coordenação do arquiteto Roberto Moita.

“Conheci o topógrafo austríaco Robert Schuster quando ele iniciava uma nova etapa de sua vida: morar na cidade. Por coincidência do destino, eu procurava exatamente um local para o lazer da minha família nos finais de semana. Adquiri o imóvel, dei-lhe o nome de Sítio da Preguiça e convidei o arquiteto Roberto Moita para fazer o restauro da casa e desenvolver o novo plano de habitação”, relembra o empresário.

Como recomenda a ética profissional, Moita obteve de Severiano Porto a autorização por escrito para fazer as intervenções necessárias. Para Roberto Moita, Severiano fez duas recomendações: nada novo seria construído em madeira e todos se empenhariam ao máximo para evitar o corte de árvores. “Incluí no contrato com a Construtora que iria fazer a obra uma cláusula que previa multa caso ocorresse o corte de raízes significativas de árvores de grande porte. As poucas árvores sacrificadas foram utilizadas na confecção das camas para nós e os hóspedes”, relata.

Assim, surgiu o novo projeto, bem mais amplo, com toda a infraestrutura de lazer e conforto, conciliados com o respeito à natureza. Por essas particularidades, o imóvel já foi alvo de inúmeras reportagens em revistas de arquitetura de circulação regional e nacional, bem como de canais de TV com abrangência em todo o território brasileiro e mundial.

“Ano passado, uma equipe do canal por cabo National Geographic escolheu o Sítio da Preguiça para uma das reportagens de uma série realizada nas quatro cidades sede da Copa do Mundo no Brasil”, conta o proprietário.

Agora, com as filhas já crescidas, estudando e trabalhando no sudeste do País, Edson entendeu como Robert Schuster fez em 1996, que havia chegado sua hora de virar a página para outras pessoas escreverem a sua história neste local que tanta felicidade trouxe à sua família e amigos: decidiu colocar o imóvel à venda. “Passo por uma nova etapa da minha vida; assim como fez Schuster, entendo que a história desse lugar, que é de tanto sucesso, deverá continuar”.

Detalhes do projeto atual

Além da casa principal original em madeira, o imóvel contempla um pavilhão de hóspedes suspenso com quatro apartamentos interligados por varanda; atelier de artes com depósito; praça de convivência; lavanderia; casa do caseiro; torre com caixa d’água para 20 mil litros abastecida por um poço artesiano de 80 metros de profundidade; salas para gerador de energia e depósito de combustível; subestação de 75 kVA; estacionamento para 20 carros de médio porte.

A área de lazer tem acesso direto por água pelo igarapé do Mariano e possui: píer de 50 metros quadrados projetado sobre o igarapé; piscina suspensa com hidromassagem; sauna com visão panorâmica do rio com banheiros masculino e feminino; sala para equipamentos de som e depósito de apoio à área de lazer; garagem capaz de guardar uma lancha de até 30 pés de comprimento e dois jetski. Ela é equipada com guincho para subir e descer o equipamento náutico em uma rampa de concreto de 40 metros de comprimento utilizando apenas uma pessoa.

Como área de proteção, um terreno de 5 mil metros quadrados de mata nativa também foi adquirido ao lado esquerdo do sítio.

Destaque

Um vídeo sobre o imóvel com detalhes do projeto e making of da obra coordenada por Roberto Moita pode ser visto no link no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=JjHEu1uC8dw. Mais informações podem ser obtidas no telefone (92) 9112-2727.