Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Silicone ajuda dar um ‘up’ na área que é preferência nacional

A evolução das técnicas têm proporcionado resultados altamente satisfatórios, atraindo um número cada vez maior de interessados - não somente o público feminino, como também o masculino

Sendo a área que é considerada preferência nacional, o bum-bum interfere muito na auto-estima da pessoa - seja homem ou mulher

Sendo a área que é considerada preferência nacional, o bum-bum interfere muito na auto-estima da pessoa - seja homem ou mulher (Reprodução/Internet)

Com status de preferência nacional, o bumbum é uma das partes do corpo com a qual as mulheres mais se preocupam e não seria exagero dizer que a pressão para estar com tudo “em cima” é grande. Não à toa, segundo pesquisa encomendada pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS), o Brasil lidera o ranking mundial de cirurgias plásticas pela primeira vez. Dentre as mais procuradas? A implantação de prótese nos glúteos. A evolução das técnicas têm proporcionado resultados altamente satisfatórios, atraindo um número cada vez maior de interessados - não somente o público feminino, como também o masculino.

Em Manaus no último fim de semana para participar do congresso médico promovido pela Sociedade brasileira de Cirurgia Plástica Regional Amazonas, o cirurgião plástico Dr. Raul Gonzalez - cuja formação se deu junto à mestres da área, como Dr. Roger Mouly e Dr. Ivo Pitanguy - disse que a procura pela intervenção cirúrgica para garantir o bumbum dos sonhos chegou a aumentar cerca de 300% nos últimos anos. Ele conta que o público é variado, mas encontra-se unido na busca pela melhor autoestima.

“Não existe limite de idade: desde jovens até senhoras de setenta anos se beneficiam com a operação. Temos basicamente dois perfis: mulheres que congenitamente nasceram com bumbum pouco desenvolvido e que buscam a cirurgia ainda jovens; e as senhoras, que perderam a projeção das nádegas por sedentarismo, perda de peso, idade ou outros motivos. Ou seja, trata-se de uma operação que serve tanto para a correção de um problema congênito como para um rejuvenescimento corporal”, disse o médico.

Ele aponta ainda que, após a intervenção, boa parte das pessoas volta a dirigir e trabalhar com 10 dias. E não é preciso se preocupar tão cedo com uma possível reposição. “A prótese glútea é bastante resistente e durável, com perspectiva de mais de vinte anos. Um simples exame de ultrassom pode detectar qualquer anormalidade”.

As injeções medicamentosas que geralmente são aplicadas no glúteo , no entanto, devem ser reposicionadas. “Não há dano ao implante, mas o medicamento fica preso na prótese, sem fazer efeito. E não há nenhum medicamento injetável que deva ser feito obrigatoriamente no glúteo”, ensina.

De olho na vaidade

Dr. Gonzalez é considerado o cirurgião com maior experiência no mundo em cirurgia de bumbum, tendo realizado cerca de mil operações de prótese de nádega e milhares de operações estéticas do bumbum desde 1984, quando começou a atuar na área. Com esta alta rotatividade de pacientes, ele de vez em quando se depara com casos em que a vaidade pode falar mais alto.

“Não somente em relação ao bumbum, na realidade, para todas as operações plásticas existem pessoas que não tem uma boa relação com seu corpo e querem modificar o que é perfeitamente normal ou bonito. Existem também pessoas que tem uma ideia muito exagerada sobre o que a cirurgia plástica pode oferecer e buscam o cirurgião com propostas fantasiosas sobre os procedimentos”, frisou.

A despeito disto, a cirurgia de implante de prótese nas nádegas não possui contraindicação. “Toda e qualquer pessoa em bom estado de saúde pode se beneficiar da modelagem por implantes glúteos”, adiantou o médico.

Custo

O custo da implantação de prótese nas nádegas tem um custo mais alto em comparação a dos seios. Segundo Dr. Gonzalez, a complexidade é maior. “Trata-se de uma cirurgia um pouco mais complexa do que os implantes de mama, mas dentro de minha experiência é uma operação que costuma dar enorme satisfação para as pacientes - e aos maridinhos também”.

Números aumentaram

No ano de 2013 foram feitos no Brasil mais de 2 milhões de procedimentos cirúrgicos: desses 1.491.720 foram cirurgias plásticas e 649.535 procedimentos estéticos, o que coloca o Brasil no topo do ranking mundial. Nos Estados Unidos, o vice-líder, foram feitas 1.452.355 cirurgias plásticas e 2.544.275 procedimentos estéticos. O Brasil também é o campeão mundial em cirurgias plásticas no rosto (380.154/ 10,1%) e no corpo (499.356/ 15%), deixando mais uma vez os Estados Unidos no segundo lugar. Mas ficamos colados nos norte-americanos quando o assunto é cirurgia nas mamas: 517.011 (15%) nos Estados Unidos contra 515.775 (14,9%) no Brasil.