Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Tendência em casamento: Dizer o ‘Sim’ em outros horizontes

Os chamados 'destination weddings' vêm se firmando como forte tendência no Brasil por uma série de fatores: ótimas viagens e um possível 'final feliz' é um deles

O ‘Sim’ é extremamente importante, mas um bom cenário pode render ainda mais amor nas cerimônias de casamento

O ‘Sim’ é extremamente importante, mas um bom cenário pode render ainda mais amor nas cerimônias de casamento (Arquivo Pessoal)

Casar-se durante uma viagem, com direito a cerimônia e recepção em cenários de tirar o fôlego à primeira vista pode parecer um tanto extravagante. Os chamados “destination weddings”, no entanto, vêm se firmando como forte tendência no Brasil por uma série de fatores – inclusive econômicos – que até podem ficar encobertos pela magnitude da ideia de um casamento fora do domicílio dos noivos. Mas a opinião de quem foi e expectativa de quem vai convergem fortemente para a concepção de uma experiência inigualável.

A empresária Marianna Rebelo Garcia já vivenciou o “destination wedding” das duas formas: como convidada e como noiva. E todas foram em Aruba, destino que ela e a família visitam desde a sua infância. Quando chegou a hora de dizer “sim” ao marido Guilherme Garcia, a escolha não poderia ter sido mais natural.

“O mar, o clima, o astral não tem igual. Estava todo mundo à vontade, aquela coisa bem relax, sem ninguém ‘montado’” aponta Michelle, que casou em setembro do ano passado. Por conta do número reduzido de convidados (foram 80 ao todo), pela facilidade com fornecedores e pela diversão de todos, a festa saiu bem mais em conta do que se fosse feita em Manaus.

“Nossa, saiu muito mais barato! A bebida, por exemplo, você paga um preço fixo por pessoa pela hora. E foram sete dias de festa. Todos fomos juntos para a praia, fizemos luaus, saímos para jantar. São férias coletivas com celebração todos os dias!”, opina.

Quem vai

Aruba também servirá de pano de fundo para o casamento da empresária Luana Barros de Carvalho. Ela se une a Jorge Correa Pinto Neto no dia 5 de setembro e diz ter sempre sonhado com uma festa nada convencional.

“Sempre quis algo mais informal e íntimo, não me via casando na igreja e com uma recepção enorme. Gosto do simples, rústico e dou valor a uma boa festa com clima praiano. Acho que não tem melhor decoração do que o mar, o verde e muitas velas”, frisa.

Noiva em fase de planejamento inicial, Helena Fagundes considera Trancoso (BA) como potencial destino para sua cerimônia a ser realizada ainda este ano. Por ser empresária do ramo de eventos, ela quis fugir de um padrão que vê frequentemente.

“Os casamentos de hoje estão tomando proporções suntuosas. E essa ideia veio por conta da vontade de fazer algo restrito e em um local que eu e meu noivo adoramos”, explica.

Estresse mínimo

Bastou uma viagem de dois dias para Aruba e Marianna Rebelo conseguiu fechar contrato com todos os fornecedores para o seu casamento. “Eles são muito organizados”, relembra a empresária. E para Luana Barros de Carvalho, o menor tempo gasto com estresse é uma das maiores vantagens do “destination wedding”.

“O nível de preocupação com o grande dia é menor, pois por vezes o destino não precisa de muito para ser incrivelmente belo, e os serviços já estão contratados anteriormente”, opina. “E é a realização de um grande sonho que por certo ficará marcado em nossas vidas”.

Etiqueta dos ‘destination’

À frente do blog “Vestida de Noiva”, a blogueira Fernanda Floret cita os “destination weddings” como tendência fortíssima e cheia de vantagens. Ela aponta motivos pelos quais vale a pena considerar a ideia, dentre estes o caráter intimista da cerimônia.

“Por vezes, os noivos são pressionados a convidar a cidade inteira para o seu casamento, pessoas que os pais precisam convidar, e então acaba virando uma festa enorme de 1mil pessoas. E nem sempre é o que os noivos querem. No ‘destination wedding’ não existe essa responsabilidade. Vai quem pode, aí fica um casamento mais intimista”, afirma.

Por se tratar de uma viagem - e que consequentemente envolve gastos e disponibilidade de tempo - Fernanda pondera ser necessária compreensão da parte dos noivos com quem não poderá comparecer. Para os que vão, porém, a blogueira indica alguns agrados.

“Os noivos podem facilitar ao máximo a vida do convidado. Negociar tarifas melhores com hotéis, passeios, de repente fazer uma recepção de boas-vindas. Isso é delicado, mas não é obrigação. São coisas que acabam agregando e resultando numa experiência diferente, mais do que uma festa sábado à noite. São várias festas”.