Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Mostra de Cultura Popular invade a praça do Largo de São Sebastião

Ação idealizada para a Copa do Mundo em Manaus chega à sua quarta edição abrindo espaço para o hip hop; coordenador destaca importância política do evento

Maracatu, tambor de crioula e capoeira são algumas das atrações da 4ª Mostra de Cultura Popular do Amazonas

Maracatu, tambor de crioula e capoeira são algumas das atrações da 4ª Mostra de Cultura Popular do Amazonas (Reprodução)

Ritmos como o samba de roda, maracatu e hip hop vão tomar conta do Largo são Sebastião nesta quinta-feira, a partir das 16h30, com a realização da quarta edição da Mostra de Cultura Popular do Amazonas. A ação é uma das últimas atividades do projeto “Amazonas de Todas As Artes”, idealizado pela Secretaria de Cultura para o período da Copa do Mundo.

Ao todo, seis apresentações vão acontecer em diversos pontos da praça: Capoeira Matumbé, Samba de Roda Vozes do Cativeiro, Maracatu Eco da Sapopema, Gambá Pingo de Luz e Boi Teimosinho de Maués, batalha de hip hop e Cordão do Marambaia. De acordo com o coordenador do evento e assessor de patrimônio imaterial da SEC, Cristian Pio Ávila, a expectativa é que a mostra atraia um público ainda maior que o da última edição, realizada em 2012, quando cerca de três mil pessoas passaram pelo Largo.

“Nas outras edições, convidamos grupos que têm uma base forte na cultura popular, mas desta vez também trouxemos núcleos que flertam com ela ou com os ritmos característicos desse universo. É o caso da banda Cordão do Marambaia, que fará o encerramento da mostra no palco principal”, explicou Ávila.

Outra novidade será a batalha de hip hop, que ficará por conta integrantes de diversos grupos de dança da Zona Leste de Manaus. “Fazemos uma leitura na qual o hip hop também se insere no conceito de uma cultura popular, só que ligada aos movimentos urbanos, ao contrário de outras expressões que são mais próximas ao ambiente rural e à musicalidade típica do homem do campo”, acrescenta o coordenador. “Mas, assim como o maxixe e o lundu, o hip hop nasceu nas classes populares e fala dessa realidade”.

IMPORTÂNCIA

Cristian Pio avalia a experiência da Mostra de Cultura Popular como exitosa. “Na primeira edição, realizada em dois dias, tivemos um público de 1.500 pessoas em cada um. Na segunda, também lotamos o Teatro Amazonas nos dois dias, e na terceira passamos a adotar esse formato de feira, com as apresentações espalhadas pelo Largo São Sebastião. A vantagem de os grupos se apresentarem no chão é que o público pode interagir melhor e até fazer parte”.

Para ele, o evento também cumpre um papel político e social. “É preciso mostrar que esses grupos existem e reivindicam uma atenção especial por parte das políticas públicas. O Amazonas não vive só de grandes festivais, mas também dessas danças e músicas que se fazem nas ruas e praças por uma gente que tem papel importante na manutenção da memória das suas comunidades”.

Serviço

O quê: 4ª Mostra de Cultura Popular do Amazonas

Onde: Centro Cultural Largo São Sebastião

Quando: Quinta-feira, dia 10, a partir das 16h30

Quanto: Gratuito