Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Sergio Souto reencontra amigos da cena musical para show em Manaus

Músico acreano canta ao lado de Célio Cruz, Zeca Torres, João Aroma e grupo Fino do Samba nesta sexta-feira (17)

Souto dedica parte do show no Fino da Bossa a seu repertório de sambas

Souto dedica parte do show no Fino da Bossa a seu repertório de sambas (Divulgação)

Esticando a passagem por Manaus, para onde veio a fim de curtir o réveillon no rio Negro, o músico Sergio Souto aproveita para reencontrar parceiros da cena musical, amigos e fãs num show no bar e restaurante Fino da Bossa, nesta sexta-feira, dia 17, a partir das 22h. No palco, ele relembra sucessos e apresenta algumas novidades ao lado dos convidados, os músicos Célio Cruz, Zeca Torres e João Aroma, e o grupo Fino do Samba. O couvert artístico para a noite é de R$ 15 por pessoa.

Na primeira parte do show, Souto se apresenta ao lado de Cruz, Torres e Aroma, com um repertório que reúne canções conhecidas do anfitrião e de seus convidados, além de algumas das diversas composições produzidas em parceria entre eles, muitas delas nunca apresentadas ao público.

“Vamos cantar algumas de nossas músicas mais conhecidas. O Torrinho, por exemplo, vai interpretar ‘Porto de lenha’, mais canções inéditas que já temos em algumas dúzias. E com o Célio Cruz e o João Aroma é a mesma coisa”, resume Souto, justificando assim o título dado ao show.

No ritmo do samba

A segunda parte desse “papo musical” será dedicada ao samba, gênero a que Souto dedicou parte de sua produção musical. Ao lado do grupo Fino do Samba, ele apresenta algumas das suas composições no ritmo musical mais genuinamente brasileiro.

“Tenho muitos sambas, todos gravados por gente como Paulo César Pinheiro ou Aldir Blanc, e preciso divulgar isso. O Amazonas hoje está mostrando sua cara sambista, com a produção de sambas de qualidade”, assinala o acreano, que se apresenta ao lado de Claudio Nunes (violão de 7 cordas), Douglas do Morro (pandeiro e voz), David Nogueira (cavaquinho e voz), Marinho Saúba Martins (surdo e voz) e Robson Oliveira (instrumentos de sopro).

Entre outras, Souto interpreta a divertida “Com o saco na Lua” e “Falsa alegria” – uma de suas músicas mais conhecidas, que começa com o verso “Puxa a cadeira e senta, conversa com um velho amigo”. As duas composições, vale dizer, estarão num álbum que o Fino do Samba deverá lançar em março, conforme adianta o artista acreano.

Para Souto, “É cantando que a gente se entende” será “um grande encontro da música da Amazônia”. “Estaremos recebendo grandes amigos, essas pessoas que gostam de nosso trabalho e não perdem a chance de nos assistir”, resume ele.

Trajetória

Acreano de Sena Madureira, Sergio Souto mudou-se ainda adolescente para o Rio de Janeiro, onde vive até hoje. A partir dos anos 1970, participou dos principais festivais de música do País, como o Festival dos Festivais (TV Globo) ou Festival 79 (TV Tupi). Sua música alcançou o grande público com o sucesso de “Falsa alegria”, exibida em videoclipe no “Fantástico”, na década de 1980.

As parcerias são uma constante da música do artista acreano, e incluem nomes como Amaral Maia, Aldir Blanc, Paulo César Pinheiro e Sergio Napp, para citar alguns. Suas criações já foram gravadas por vários intérpretes da MPB, como Nelson Gonçalves, Fagner, Jorge Vercilo, Jessé e Elba Ramalho.