Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Em Manaus, exposição retrata realidade ribeirinha e indígena com traçados de grafite

Mostra ‘Traçados Regionalis’ é comandada pelo artista Paradise e entra em cartaz a partir de 1 de julho no Espaço Cultural Alienígena

As telas de Paradise estão em fase de produção para a exposição

As telas de Paradise estão em fase de produção para a exposição (J. Renato Queiroz)

O traçado do artista plástico Paradise é forte o suficiente para funcionar sozinho, sem o acompanhamento de tintas. É por meio dele que a realidade ribeirinha e indígena ganha vida de forma crua, para, assim, refletir o que anda esquecido pelos seus próprios herdeiros. Para lembrá-los, Paradise leva a público a exposição “Traçados Regionalis”, a qual fica em cartaz a partir de 1 de julho e assim permanece durante todo o mês, no Espaço Cultural O Alienígena.

Ainda em fase de produção, Paradise pretende concluir por volta de 20 telas nos tamanhos variados de 30 a 50cm para expor. O artista também atua como grafiteiro, por isso, é familiarizado com a linguagem acessível, das ruas. Por isso, quem conferir “Traçados Regionalis” poderá absorver sua ideia de forma literal.

“Retrato o indígena, o nativo que veio para a cidade e enfrentou o crescimento desordenado. As gerações seguintes, então, foram perdendo seus valores. Não plantam, não pescam, não valorizam seus rios. Existe esse desencanto. Então [a exposição] é um resgate, uma busca para valorizar essa cultura”, explica ele.

Para tanto, Paradise coloca como protagonistas de suas telas o indígena, o negro e o branco - pois a mistura de todos, de uma forma ou de outra, resulta no ribeirinho. Também haverá espaço para reverenciar um personagem já antigo na carreira do artista, que é o peixe.

“É um personagem que retrato de várias formas e tamanhos, sempre nesse cenário da herança do ribeirinho, o homem que ocupa a margem dos igarapés”, diz, apontando que já coleciona 15 anos de estrada.

Técnicas

O traçado de Paradise, na sua definição, não segue um estilo catalogado. É livre, como o trabalho que ele desempenha por meio do grafite - este, inclusive, segue também o mesmo modus operandi, apenas demanda materiais diferentes.

“Quis me libertar disso [de definições], quis fazer um estilo nascido na rua”, frisou. Além do preto do traço, a única cor presente encontra-se no fundo das telas de Paradise, que para esta exposição, serão amarelas e verdes - em ritmo de Copa do Mundo.

“Já havia feito outras exposições e sempre gostei do bicolor, isso me fascina. O traçado é muito rico, agradável”, adianta.

Duração

“Traçados Regionalis” entrará em cartaz no dia 1º de julho, a partir das 17h e durante a abertura, haverá discotecagem do DJ MC Fino. Nos demais dias, o público poderá conferir a mostra a partir das 9h até às 18h (segunda a sexta) e também aos sábados das 8h às 13h. A entrada para o Espaço Cultural Alienígena é gratuita.