Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Mão na massa e na terra: creches estimulam novos hábitos

Na creche, as atividades de estimulação individual acontecem por semana com bebês de seis meses a 1 ano e quatro meses


Pequenos descobrem prazeres em atividades como culinária, esportes, arte e jardinagem

Pequenos descobrem prazeres em atividades como culinária, esportes, arte e jardinagem (Érica Melo)

Atualmente no nono mês de sua quarta gravidez, a mamãe Michelle Benchimol morou antigamente por 10 anos no exterior (em países como Estados Unidos e Itália), onde adquiriu experiência profissional. Durante este período, ela se informou sobre como as famílias estrangeiras se organizavam sem as profissionais auxiliares do lar, o que está cada vez mais perto de ser realidade no Brasil, segundo ela. A partir de visitas a algumas creches e de análises dos seus métodos educacionais, Benchimol inaugurou, em fevereiro deste ano, a escola-creche “Morada Bebê”, que atende crianças de seis meses a cinco anos de idade através da proposta sócio-interacionista.

Sob este conceito, que baseia-se na ideia do sujeito como participante do aprendizado, a unidade oferece aos alunos atividades como ballet, judô, funcional kids, musicoterapia, ginástica cerebral, psicomotricidade relacional, leitura, aulas de curiosidades, oficina de teatro, etiqueta na prática, memorização, programa de saúde renovada e brincadeiras tradicionais. Um dos destaques do serviço, porém, são as aulas de arte-culinária para chefs mirins, que visam desenvolver nos pequenos o gosto pela alimentação saudável e a prática/manipulação dos alimentos. Segundo Michelle, a atividade desenvolve a criatividade e o trabalho em equipe, além do prazer em preparar a própria comidinha.

“Nessas aulas, as crianças preparam biscoitos e bolos, com a supervisão das responsáveis pela ala de arte-culinária. No ateliê de Páscoa elas fizeram cupcakes e brigadeiros, e dia desses fizeram massa de pasteis”, conforme a proprietária.

Ela aponta que é possível usar, de forma interdisciplinar, conteúdos como a matemática quando aplicamos a quantidade a ser utilizada nos alimentos. “Também exercitamos a linguagem através da receita escrita, estudos sociais quando se define a origem de tal alimento, e ciências quando aprendemos sobre a forma correta de uso, manipulação e aplicação dos alimentos, além da higiene. As aulas acontecem uma vez por semana e são ministradas pelas professoras sob a orientação da nutricionista da escola, e as receitas são pesquisadas e elaboradas de acordo com os conteúdos trabalhados em sala de aula, tornando as aulas práticas mais prazerosas e divertidas”, destaca a proprietária Michelle.

Da terra, o planeta Na creche, os pimpolhos têm a oportunidade de, desde cedo, também colocarem a “mão na terra”. Tudo por conta das atividades de plantio e sustentabilidade que eles são estimulados a praticar no local. Segundo Benchimol, essas atividades nascem da necessidade de falar sobre sustentabilidade e a importância da preservação ambiental. Tal aproximação, ela coloca, gera interesse e comprometimento com o meio ambiente. A atividade é ministrada pelas professoras e coordenadora pedagógica.

“Incentivamos o plantio de ervas aromáticas, vegetais e frutas para serem utilizadas na alimentação dos alunos. O trabalho de sustentabilidade também inclui produção de brinquedos com material de reaproveitamento (ex: xilogravura feita com bandeja de isopor), etc. Muitas vezes esses brinquedos produzidos pelas próprias crianças causa um interesse maior que os brinquedos comerciais caríssimos, desincentivando o consumismo”, assegura Benchimol.