Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

No Dia Mundial da Saúde Bucal, dentistas alertam para os cuidados com os dentes

Cárie é o principal problema relacionado à saúde bucal, atingindo 56% das crianças brasileiras; especialistas recomendam cuidados diários com os dentes desde a infância

Verdades e mitos da saúde bucal

Cuidados com a saúde bucal devem começar cedo (Reprodução/Internet)

No próximo dia 20 de março será comemorado o Dia Mundial da Saúde Bucal. De acordo com dados do Ministério da Saúde, a cárie é o principal problema de saúde bucal no Brasil. O índice de cárie nas crianças de até 12 anos é de 56%.

Segundo o dentista da Sorridents, Dr. Cleber Soares, a cárie é uma deterioração do dente causada principalmente pelo estilo de vida e hábitos diários. “A cárie e outros problemas podem ser prevenidos com um cuidado simples: a higienização bucal. O segredo para um sorriso saudável está na escovação correta, além da adoção de alimentação e hábitos adequados”, explica Dr. Cleber.

A dentista da Sorridents, maior rede de franquias de clínicas odontológicas da América Latina, listou seis alertas importantes para manutenção da saúde bucal:

Bebês podem ter cáries, gengivite e problemas de mordida. As visitas ao dentista devem começar cedo, ainda bebê. Por volta dos seis meses nasce o primeiro dentinho, esse é sinal de que chegou a hora da primeira consulta com o odontopediatra. Nesta fase, já é indicado começar a escovação da gengiva e dos primeiros dentinhos. A escovação é feita com dedeiras de silicone sem creme dental.

O período ideal para usar aparelho é na infância. Nessa fase começa a troca dentária, por isso, já é possível identificar a estrutura esquelética e a necessidade de oclusão correta dos dentes. No período de crescimento da criança os aparelhos são mais assertivos, pois podem prevenir complicações de casos que poderiam ter sido solucionados de forma mais simples. Existe um mito de que se deve esperar toda a dentição se tornar definitiva para o uso do aparelho, mas isso não é verdade. Na infância é possível realizar tratamentos preventivos que evitam complicações na fase adulta.

Sangramento da gengiva pode ser sintoma de gengivite.  A gengivite é uma inflamação da gengiva causada principalmente pela placa. A gengivite em seu grau mais avançado é chamada de periodontite. Os sintomas incluem gengiva vermelha, inchada e sensível a sangramento. A higienização bucal adequada e visitas periódicas ao dentista são fundamentais para a prevenção e tratamento da gengivite.

Bebidas alcoólicas e tabaco são as principais causas do câncer de boca. A doença é mais frequente em homens do que em mulheres e atinge, principalmente, pessoas com mais de quarenta anos. Os primeiros sintomas são difíceis de perceber, por isso, a importância da consulta com o profissional. De modo geral, o câncer de boca provoca mau hálito, dificuldade em falar e engolir, caroço no pescoço e perda de peso. O tratamento do câncer de boca pode incluir cirurgia, quimioterapia e radioterapia. 

Manchas e descoloração dos dentes podem ser sinais de tártaro. O tártaro é a placa bacteriana endurecida. O tártaro é um problema de saúde bucal e também estético. O sinal mais comum é uma coloração amarela ou marrom na região da margem gengival. O tártaro só pode ser diagnosticado e removido pelo dentista. A melhor forma de prevenir a doença é com a escovação correta.

Escovas de dente gastas podem lesar a gengiva. A cabeça da escova quando pontiaguda facilita a limpeza dos dentes do fundo da boca (os molares). O tamanho da cabeça da escova depende do porte da pessoa, que deve ser proporcional. O importante das cerdas é que elas sejam macias. As escovas com cerdas com diferentes níveis acompanham melhor a anatomia dos dentes. As escovas sejam trocadas a cada três meses ou quando a mesma apresentar desgaste. Usar uma escova em estado inapropriado pode causar problemas na gengiva. Além disso, é recomendada também a troca depois de uma gripe ou doença contagiosa, para diminuir o risco de contaminação pelos germes que aderem às cerdas.

*Com informações da assessoria