Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Traços da Amazônia ganham os quadrinhos no ‘Projeto Hiléia’

Ilustradores e artistas lançam selo com histórias, figuras e personagens típicos da região; lançamento acontece na próxima quinta (13)

O nome do Projeto Hiléia homenageia o naturalista alemão Alexander von Humboldt (1769-1859), que batizou a Amazônia como ‘hileia’ – em grego antigo, ‘floresta selvagem’

O nome do Projeto Hiléia homenageia o naturalista alemão Alexander von Humboldt (1769-1859), que batizou a Amazônia como ‘hileia’ – em grego antigo, ‘floresta selvagem’ (Divulgação/Reprodução)

Levar bichos, histórias, cenários e personalidades da Amazônia para as páginas de revistas em quadrinhos. Essa é a proposta do Projeto Hiléia, série de quadrinhos de temática focada na região e produzida por artistas amazonenses. Capitaneado por Strategos Gestão Cultural e Vortex Studio Arts, o projeto terá seu lançamento na quinta-feira, dia 13, às 14h, na Biblioteca Municipal João Bosco Evangelista, com a abertura de exposição sobre a iniciativa e a realização de diversas oficinas de quadrinhos.

O Projeto Hiléia foi criado por ilustradores e artistas de Manaus no final do ano passado, depois do sucesso de exposições realizadas na cidade enfocando o universo dos quadrinhos. Entre elas, “Arquivos – Neil Gaiman”, em homenagem ao autor inglês, em outubro, e “Natal em quadrinhos”, reunindo trabalhos de artistas locais e nacionais, em dezembro.

“Com o sucesso dessas exposições, surgiu a ideia de criar uma série de quadrinhos com temática amazônica”, resume Evaldo Vasconcelos, roteirista e produtor cultural no grupo, do qual fazem parte ainda os ilustradores Cristoffer Ferreira, Al Ramon, Jahn Cardoso, Luís Bárbaro Neto e Marcelo Akita; o colorista Rafael Rodrigues; e a letrista e designer Sarah Gabriela. “Vimos que havia uma demanda grande por esse material”.

Infantis e adultos

O Hiléia já conta com três projetos de revista em quadrinhos na agulha: “Maramunhã”, releitura da clássica “Batalha dos Sapos e Ratos” de Homero, voltada ao público infantil e trazendo elementos da fauna amazônica e da cultura indígena; “No País das Amazonas”, biografia de Silvino Santos (1886-1970), pioneiro do cinema no Amazonas e no Brasil; e “Manaus, um guia essencial”, um guia diferente da capital do Amazonas, enfocando sua cultura e seus costumes. Capas e algumas páginas prontas desses trabalhos serão exibidas na mostra de lançamento do Hiléia.

“Nossa meta é lançar este ano seis títulos, começando com esses três”, aponta Vasconcelos.

Buscando apoio

Ainda segundo o produtor, a escolha dos títulos passa por uma avaliação de mercado. Isso porque, para bancar a produção do material, os integrantes do projeto apostam no financiamento coletivo e também no interesse de editoras e empresas – vale dizer, não apenas daqui, mas também de outros Estados.

“Procuramos inicialmente órgãos de cultura locais. Mas, percebemos que os quadrinhos ainda são uma coisa discriminada em Manaus, não são vistos como arte. Por isso procuramos patrocinadores externos, com o (site de financiamento coletivo) Catarse, por exemplo, e até enviamos os projetos a empresas de fora”, explica Vasconcelos. O foco do Hiléia, ele acrescenta, “são os mercados nacional e internacional”.

Financiamento

“Maramunhã” – que tem como subtítulo A guerra dos Jabutis e dos Quatipurus” – é o primeiro dos projetos do Hiléia em busca de financiamento coletivo. Nos próximos dias, será lançado o projeto de financiamento da revista no site Catarse, com proposta de captação de recursos de R$ 7.900 para a produção de mil exemplares, no prazo de até um mês. Confira no endereço http://catarse.me/pt/maramunha.

“No caso da ‘Maramunhã’, haverá kits básicos, somente com a revista, e outros com brindes, como camisetas e adesivos”, antecipa Vasconcelos.

Além da mostra de apresentação, o lançamento do Hiléia terá oficinas em diversos segmentos dos quadrinhos, entre eles produção de roteiros. A inclusão, segundo Vasconcelos, busca suprir uma necessidade no cenário local de quadrinhos. “Falta gente que escreva quadrinhos no mercado local”, afirma ele, que convoca os possíveis interessados: “Quem gosta de escrever, quem tem interesse em produzir quadrinhos, venha à oficina. Estamos precisando de roteiristas”.

Serviço

O que é: Projeto Hiléia – Exposição, lançamento de selo e oficinas de quadrinhos

Onde: Biblioteca Municipal João Bosco Pantoja Evangelista, Largo de São Sebastião, Centro

Quando: De 13 a 21 de março, exceto sábado e domingo, sempre das 14h às 17h

Quanto: Entrada gratuita