Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Artista plástico apresenta exposição com os muros da Manaus Moderna

Novo trabalho de Sérgio Cardoso ‘enquadra’ mureta que cerca orla no Centro de Manaus em vídeo e ‘photoplastyas’. A mostra inaugura nesta quinta-feira (27)

Nas imagens de “Harborlights”, Sérgio Cardoso reúne fotografias com intervenção digital e um vídeo que registram o muro da orla e suas mudanças ao longo de seis anos

Nas imagens de “Harborlights”, Sérgio Cardoso reúne fotografias com intervenção digital e um vídeo que registram o muro da orla e suas mudanças ao longo de seis anos (Reprodução)

As muretas da Manaus Moderna são tema da nova exposição do artista plástico amazonense Sérgio Cardoso. Intitulada “Harborlights”, a exibição reúne 40 “photoplastyas” – fotografia com intervenção digital – e um filme que registram a expressão de grafiteiros e as interferências improvisadas de trabalhadores e transeuntes no anteparo que cerca a orla da cidade na região do Centro. A mostra inaugura nesta quinta-feira (27), às 19h, no Espaço Cultural Thiago de Mello da Saraiva Megastore, com entrada franca.

As obras de “Harborlights” – “Luzes do porto”, em inglês – são derivadas de fotografias que Cardoso vem fazendo desde 2008, sempre nas tardes de domingo, na área da Manaus Moderna. “Vi que, nas minhas fotografias dos muros, aparecia também a paisagem dos rios e da floresta. E os muros, por sua vez, tinham muitas significações, servindo de estrutura de precária moradia para quem trabalha e vive no porto, até atracadouro improvisado para embarcações”, comenta ele.

Segundo Cardoso, as fotografias servem como forma de registro da “produção visual popular espontânea” no local. Assim, além de inscrições diversas, feitas por moradores ou grafiteiros, ele captou imagens das interferências visuais feitas por trabalhadores na Manaus Moderna. “As instalações que os operários fazem quando amarram caixas no muro, as intervenções com objetos de trabalho, são verdadeiras construções plástico-visuais”, aponta.

As frestas da mureta, por sua vez, também enquadram o cenário do rio: “Enquadramento do cinema da paisagem através das frestas, vãos de baixo de encaixe de concreto antigo entre frágeis colunas”.

Melancia na calçada

Para compor as photoplastyas, Cardoso aplicou filtros e intensificou a saturação das cores nas fotografias originais. Mas a intervenção que mais deve chamar a atenção do público é o recorte de uma melancia, que aparece em todas as obras. A fruta, um dos diversos detritos que o artista encontrou na calçada da avenida em suas andanças, ganhou um significado quase místico nas criações da mostra.

“Era uma melancia jogada, estranha, com um rasgo no meio. Um rasgo misterioso como um ‘quasar pulsando loa’. Eu a transformei em símbolo de integração na mostra: ela é um casulo, um ‘cocoon’, uma nave espacial, uma entidade da natureza que paira sobre o porto de forma enigmática”, ele revela.

As photoplastyas e o vídeo foram ainda elaborados e montados de forma como que a contar uma história. “É uma narrativa de fotonovela”, explica.

“Harborlights”, enfim, revela a dura poesia da construção de concreto que demarca rio e cidade, como descreve Cardoso: “A portopoéticavisual do acaso existencial dos viajantes sem registros. A tarde quente e o mau cheiro. Restos da feira. Quase silêncio. Ruídos dos sons do rádio e a televisão, músicas e jogos da tarde. Restos do sol amarelo e calor avassalador”.

Serviço

O que é: Projeto “Olê, Olá – Boêmia Bossa Bar”, com as cantoras Márcia Siqueira e Fátima Silva, e o cantor Fidel Graçaonde Estação Cultural Arte & Fato, rua Dez de Julho, 455, Centro, ao lado do Teatro Amazonasquando Hoje, a partir das 19h, com música ao vivo a partir das 21h30

Quanto: Couvert artístico a R$ 10 por pessoainfo e/ou reservas(92) 3234-7125.