Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Artista paraense retrata uma Amazônia estilizada em mostra com pinceladas digitais

Suzana Pires inaugura na capital a exposição 'Amazônia Virtual', cuja vernissage acontece nesta quinta-feira (10), na Livraria Saraiva do Manauara Shopping

Suzana Pires já ganhou quatro prêmios em sua carreira

Suzana Pires já ganhou quatro prêmios em sua carreira (Divulgação)

As imagens de cunho amazônico estilizadas por traços digitais talvez sejam o principal subsídio do acervo da artista plástica Suzana Pires. Aos 48 anos e com 29 anos de carreira, a artista, graduada em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Pará (UFPA) inaugura em Manaus a exposição “Amazônia Virtual”, cuja vernissage acontece amanhã, a partir das 19h, na Livraria Saraiva do Manauara Shopping (Espaço Thiago de Mello). A mostra fica em cartaz no local a partir desta sexta-feira até 28 de julho, no horário comercial do local. A entrada é franca.

Ao todo, nove trabalhos nos mais variados tamanhos (entre 30x30cm e 1x1 metro) evidenciam a técnica utilizada por Suzana, que põe em voga as luzes, sombras e cores vibrantes da região. Chamada de “pintura digital”, o método consiste na manipulação fotográfica através de técnicas do design gráfico. Ela explica que os efeitos são produzidos no computador e levados à impressão em giclée, capaz de imprimir obra nos mais diversos materiais – a exemplo da tela – à jatos de tinta de alta definição. “Essa técnica se tornou inovadora na arte de digitalizar”, pondera Suzana.

Sobre o uso do método, Pires pontua que a imagem deixa de ser uma simples fotografia, cujo resultado final remete lembranças ao realismo e surrealismo – mas sem assumir os gêneros em seu conteúdo. “Como este trabalho é feito no computador, é possível modificar a textura e as cores, incluindo até alguns traços, de modo a intensificar e enfraquecer uns e outros”, completa ela.

E os temas a darem vida aos traços digitais da mostra são fragmentos paisagísticos da Amazônia, traduzidos em símbolos como a floresta, o rio, a casa dos ribeirinhos e a vitória-régia. Todas as imagens estilizadas foram clicadas pela própria artista, que foi a campo em julho de 2013 fotografar todo o material. “A viagem durou um mês. Na verdade fui a passeio, mas por conta da riqueza do conteúdo encontrado coletei as imagens e as transformei na exposição”, coloca.

História

Desde a adolescência, Suzana carrega em si a paixão pela pintura. Fã assumida das obras de Romero Britto, a artista foi premiada três vezes em Belém (PA), cidade onde nasceu. O primeiro prêmio de sua carreira chegou às mãos de Pires logo no ano em que começou a expor, por meio da obra “Manhã”, premiada no II Salão de Artes da FCAP, em 1985.

O segundo prêmio veio em 1987, com a obra “Vida Marinha” arrematando o 1º lugar no I Festival de Artistas Anônimos. Suzana também recebeu uma premiação pela pintura mural no “Projeto Pintarte”, de 1988. Em Manaus, a artista foi premiada com a obra “Eco-Lógico”, no Salão e Arte Branco e Silva, em 1996.

Mostra dos 33 anos de luta indígena

O Complexo Turístico Ponta Negra receberá, a partir do dia 16 de julho até 17 de agosto, a exposição “Povos Indígenas no Brasil 1980/2013” que retrata os últimos 33 anos de luta dos povos indígenas por seus direitos coletivos. O evento é promovido pela Embaixada da Noruega no País e apresenta 46 fotografias de profissionais nacionais e internacionais.

A exposição já passou por Brasília, São Paulo, Belém e agora chega a capital do Amazonas com o apoio da Prefeitura de Manaus. A maior parte das imagens da exposição já foi publicada na imprensa e nos volumes da série Povos Indígenas no Brasil, sendo as últimas edições com apoio do Programa para Povos Indígenas da Embaixada Real da Noruega em Brasília.

“A exposição é comemorativa aos 30 anos de investimentos da embaixada norueguesa nas questões indígenas e a luta desses povos por seus direitos. Elas estarão dispostas em totens com iluminação em LED mostrando que estamos preocupados com as questões indígenas e também com o meio ambiente”, destacou Emanuela Paranhos, produtora executiva do evento.

De Manaus, as imagens seguem para Oslo, capital da Noruega, para a temporada 2015 da exposição.

Serviço

O que é Exposição “Amazônia Virtual”

Quando De 11 a 28 de julho (horário comercial)

Onde Livraria Saraiva, no Manauara Shopping, Avenida Mário Ypiranga, 1.300, Adrianópolis