Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Artistas locais participam de documentário francês inspirado em canções de Jorge Ben Jor

A banda amazonense Os Tucumanus e a Orquestra de Câmara do Amazonas irão participar do documentário ‘Oba, Oba, Oba’, inspirado em canções do cantor

Álbum de ‘alquimia musical’ é um dos principais da carreira do compositor

Álbum de ‘alquimia musical’ é um dos principais da carreira de Jorge Ben (Divulgação)

No início de junho, a banda amazonense Os Tucumanus entrará no foco do trio de cineastas franceses formado por Benjamin Rassat (“I am the Media”), Vincent Moon (projeto “Petites Planètes”) e o veterano Pierre Barouh (“Saravah”). Eles virão ao País durante a Copa do Mundo para gravar o documentário “Oba, Oba, Oba”, inspirado em canções de Jorge Ben Jor e que terá a participação de novas promessas da música brasileira.

A equipe do projeto, anunciado há mais de três anos, passará 45 dias viajando pelas cidades-sede à coleta das diversas facetas culturais (e musicais) do Brasil. Segundo a reportagem apurou, o objetivo é que a obra seja uma espécie de continuação de “Saravah”, filme que Barouh rodou por aqui em 1969, registrando a efervescente cena da MPB da época através das vozes de Pixinguinha, Maria Bethânia, Paulinho da Viola e Baden Powell.

O guitarrista d’Os Tucumanus, Denilson Novo, conta que conheceu Rassat pessoalmente em fevereiro, durante o primeiro Festival Cultural do Pirão, projeto multicultural que a banda realiza em parceria com outros grupos e artistas da cidade. “Ele veio nos procurar porque já tinha conhecido nosso som pela Internet. Nesse período, ele estava fazendo a pré-produção do documentário e resolveu nos convidar, dizendo que o Pirão tinha sido a melhor festa que ele tinha conferido aqui no Amazonas”.

ALQUIMIA REGIONAL

De acordo com Novo, “Oba, Oba, Oba” tem como ponto de partida o clássico disco “A Tábua de Esmeralda”, lançado por Jorge Ben Jor em 1974 e considerado pela “Rolling Stone” como o sexto melhor álbum da música brasileira de todos os tempos. Cada uma das 12 faixas da obra, que inaugurou a chamada fase “alquimista” do compositor carioca, será interpretada por uma banda diferente para as lentes dos franceses.

“Eles estão em busca de grupos de todo o Brasil para gravar uma música do disco e emendar com uma composição própria”, acrescenta o guitarrista. Inclusive, os amazonenses já estão prontos para começar os ensaios: “Vamos fazer uma versão ‘tucumânica’ de ‘Cinco minutos’, do Jorge. De material nosso, tudo indica que será ‘Serpenteia’, mas também depende da vibração energética da banda no momento”, brinca. Para ele, a expectativa de participar do projeto também é grande, já que essa é uma produção com potencial para rodar o mundo.

NOVIDADES À VISTA

Mergulhada no projeto do Pirão, a Tucumanus pretende lançar durante a Copa a segunda coletânea do projeto, que reunirá mais de 10 artistas e bandas, dentre eles Alaídenegão, Cabocrioulo e Cileno. “Na verde, a primeira foi uma compilação de músicas que já tínhamos. Agora estamos no estúdio gravando composições ainda inéditas em disco, mas que já fazem parte do nosso repertório de shows”, explica Denilson.

Outra novidade para o período dos jogos em Manaus será o lançamento do álbum “Rumo à Via Láctea”, sucessor da demo “Regional Experimental”. O novo CD da Tucumanus tem produção de Bruno Prestes e participação de Celdo Braga e Salomão Rossy.

Entre o clássico e o popular

A Orquestra de Câmara do Amazonas (OCA) também foi convidada para participar da gravação do documentário francês. Regidos por Marcelo de Jesus, os músicos do corpo artístico vão interpretar a música “Errare Humanum Est”, de Ben Jor.