Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Ator Cássio Reis fala da peça teatral ‘Callas’, realizada neste fim de semana em Manaus

O ator contracena ao lado da atriz Sílvia Pfeifer no espetáculo teatral que conta a história de Maria Callas, maior ícone do mundo lírico de todos os tempos

Reis e Sílvia estrearam com “Callas” no início deste ano, no Rio de Janeiro.

Reis e Sílvia estrearam com “Callas” no início deste ano, no Rio de Janeiro. (Divulgação)

Seria o sonho para qualquer amante de ópera: sentar à mesa para uma conversa com Maria Callas, maior ícone do mundo lírico de todos os tempos. Pois o ator Cássio Reis conseguiu a proeza – não na vida real, claro, já que Callas há muito deixou a vida para brilhar na História, mas no palco. Em “Callas”, espetáculo teatral em tributo à cantora norte-americana, a ser apresentado amanhã e domingo, no Teatro Amazonas, ele interpreta um jornalista que encontra Callas na véspera da morte dela, em 1977.

“John Adams, esse jornalista que eu faço, é amante de ópera e um grande admirador da Callas”, afirma o ator e apresentador paulista, 37 anos, falando sobre o personagem que na verdade não existiu na vida real. “É uma ‘combinação’ de vários jornalistas e figuras reais que passaram pela vida da Callas”.

Reis, que contracena com Sílvia Pfeifer, no papel de Callas, acrescenta que Adams estimula a célebre cantora a fazer revelações sobre sua vida, para seu personagem e para o público. “Ele tem um interesse jornalístico de captar revelações sobre a cantora e sua trajetória. Ao longo da peça, quem for assistir vai ter muitas revelações e surpresas”.

‘Documentário vivo’

No texto de autoria de Fernando Duarte, o encontro entre Callas e Adams acontece na tarde do dia 15 de setembro em 1977, em Paris, e a conversa dos dois começa a partir de uma exposição que o jornalista deseja montar enfocando a soprano e sua trajetória. Foi a deixa para a diretora Marília Pera – que já viveu o papel de Callas na peça “Master Class”, em 1996 – elaborar uma montagem que funciona como uma espécie de documentário sobre a diva, em que os atores dividem a cena com réplicas de vestidos e acessórios, e ainda fotos e vídeos em projeção.

“Marília quis dar a ideia de um documentário vivo, o que foi uma grande sacada. Ficou muito claro, muito leve. É uma peça bem marcada, com muitas projeções e feita de um jeito diferente de um teatro naturalista, mas que tem a naturalidade dos dias de hoje e o toque contemporâneo de Marília”, assinala Reis.

Para o ator, o desafio maior não foi dividir o palco com fotografias, vídeos e objetos de cena, mas conduzir seu personagem de forma delicada e tranquila. “Meu personagem é uma figura bem leve”, afirma ele. “Eu me preocupei mais em passar o recado, em ser os olhos do público sobre a Maria Callas”.

Do convite à turnê

Assim como se deu com Sílvia Pfeifer, Reis recebeu o convite para integrar o elenco de “Callas” num telefonema de Marília em pessoa. “Fiquei muito honrado e lisonjeado. Mesmo que fosse para um café, um convite dela já seria gratificante”, brinca o ator, que já atuou ao lado da atriz na novela “Cobras & lagartos”, em 2006. “Foi muito bom, é uma figura que admiro muito, profissional e pessoalmente”.

Após o convite, Reis buscou descobrir mais sobre a personagem-título da montagem. “Eu não era um profundo conhecedor de Maria Callas, mas comecei a estudar, li muito, vi documentários”, conta ele, que hoje se diz um “fã incondicional” da cantora: “Tanto pelo que ela representou na História da música quanto pela história de vida dela, que é de tragédias, de luta e superação”.

A estreia de “Callas” aconteceu em janeiro deste ano, no Rio de Janeiro, onde o espetáculo permaneceu por dois meses em cartaz. De lá para cá, a peça começou uma turnê que já passou por 18 cidades, sendo Brasília a mais recente delas. Para Reis e o resto da equipe, é uma nova fase de trabalho.

“Cada cidade tem um palco diferente, um tamanho de galeria diferente, e a cada semana a gente tem de se adaptar”, afirma ele. “Mas esse é o grande barato do teatro: esse poder de se adaptar a diversos lugares e públicos diferentes”.

Reis, que já esteve em Manaus anteriormente, assinala que espaços como o Teatro Amazonas dão outro ar à produção. “É um lindo teatro, que faz as pessoas se sentirem como se estivessem entrando para ver uma ópera”, comenta o ator, que aponta “Callas” como ótima pedida de espetáculo, tanto para fãs quanto não fãs da cantora: “Quem conhece sobre Callas vai se aprofundar mais, e quem não conhece vai se surpreender com o universo da diva”.

Serviço

O que: é Espetáculo teatral “Callas”, com Sílvia Pfeifer e Cássio Reis

Onde: Teatro Amazonas, Largo de São Sebastião, Centro

Quando: Amanhã, às 20h, e domingo, às 19h

Quanto: Ingressos a R$ 60 (plateia e frisas), R$ 40 (1º pav.), R$ 30 (2º pav.) e R$ 20 (3º pav.), em valores de inteira

Classificação etária: Livre

Informações: (92) 3232-1768