Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Banda amazonense Alaídenegão participa do concurso Rolling Stone Brasil

O concurso, que selecionou diversos grupos de Norte a Sul do País, é considerado um dos maiores na difusão das bandas independentes do Brasil

A banda Alaídenegão existe desde janeiro de 2008

O disco ‘Senóide Sensual’ será finalizado em agosto, para em setembro ser mixado e remasterizado

A banda amazonense Alaídenegão participa do concurso “Rolling Stone Rad”, promovido pela rádio da revista Rolling Stone Brasil em parceria com a marca WestCoast. A faixa participante “Curumim” foi gravada para a coletânea do projeto Pirão AM no Estúdio Digital Verde, com produção de Rosivaldo Cordeiro. O concurso, que selecionou diversos grupos de Norte a Sul do País, é considerado um dos maiores na difusão das bandas independentes do Brasil.

De acordo com o baixista da Alaídenegão, Agenor Vasconcelos, “Curumim” não faz parte do próximo álbum da banda, intitulado “Senóide Sensual”, justamente para aguçar “o que virá depois” para a banda. A Deckdisc, atual gravadora da “neguinha”, é quem está dando o apoio na divulgação do nome dos amazonenses no concurso. “É um concurso aberto de bandas. Após termos nos inscrito, comunicamos à Deckdisc, que está divulgando em suas redes sociais os links diretos da votação”, pontua ele.

As 10 bandas mais votadas do concurso irão passar por uma curadoria, composta por jornalistas e produtores vinculados à Rolling Stone Brasil. Das 10, apenas uma será escolhida para se apresentar no programa Estúdio RS. De quebra, a canção da banda vencedora se integrará automaticamente à programação da rádio, e ainda haverá a gravação de um set audiovisual completo. Segundo Agenor, se caso a Alaídenegão for a grande sortuda, as músicas confirmadas para o set são as tradicionais “Praia da Lua”, “Rodar Na Bica” e “Descendo o Som”, além das inéditas “Tô saindo agora” e “Banzeiro”.

A “neguinha” é veterana quando o assunto é disseminar música por meio da Internet. Uma das maiores peripécias alcançadas pela banda com o uso da ferramenta foi a participação no “Estúdio Show Livre”, transmitido ao vivo via web. Sobre a Internet, Agenor afirma ser o principal meio de difusão musical da Alaídenegão. “Depois do ‘Show Livre’, o produtor Marcelo Shida reuniu conosco e disse que o show foi uma das maiores audiências da história do programa. A web é uma das coisas mais importantes que aconteceram nos últimos tempos. Fazemos música, colocamos na Internet e uma semana depois mais de mil pessoas já ouviram”, celebra Vasconcelos.

Futurismo

O álbum “Senóide Sensual” tem lançamento previsto para outubro, mas o espírito da banda está além: as músicas “Banzeiro” e “A Rabeta”, que devem integrar o disco pós-Senóide Sensual, já estão disponíveis na plataforma SoundCloud. Sobre a antecipação, Agenor explica: “Nós já estamos juntos há algum tempo e não somos mais inocentes. Do mesmo jeito que a coisa pode ter um futuro, ela pode acabar do nada. Queremos aproveitar o máximo do processo criativo agora, gravar tudo e colocar na Internet, não só fazer shows”, destaca.

O baixista aponta que o contrato assinado com a Deckdisc dispõe de 40 fonogramas, e a banda gravou apenas 17, o que os põe “em débito” com a gravadora. “Já estamos compondo músicas para o disco que virá após o ‘Senóide’, e essas novas músicas estão com uma nova pegada. Pensamos em fazer um som cada vez mais claro, e trabalhar o popular com elementos da sofisticação”, finaliza Agenor.