Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Produtor irlandês inclui o som da Amazônia em suas tracklists

A banda amazonense Os Tucumanus e o cantor Rosivaldo Cordeiro emplacaram na seleção musical sob domínio do curador e produtor irlandês David McLoughlin

Os Tucumanus emplacaram duas músicas, uma em cada coletânea

Os Tucumanus emplacaram duas músicas, uma em cada coletânea (Divulgação)

O ritmo do Norte atingiu, em cheio, duas coletâneas interligadas ao meio internacional. A banda amazonense Os Tucumanus e o cantor Rosivaldo Cordeiro emplacaram, respectivamente, as músicas “Chuveiro Natural” e “Cumbia do Amor” na seleção musical “New Northern Sounds: Amazonas, Pará and beyond”, presente na plataforma Mixcloud e capitaneada pela Brasil Music Exchange - fomentadora de experiências no mercado musical brasileiro – sob domínio do curador irlandês David McLoughlin.

Ainda na escala de músicas inseridas em coletâneas, os meninos do “Regional Experimental” figuram novamente com a canção “Churrasco de Gato” na “Rolê – New Sounds Of Brazil”, fruto da Mais Um Discos, gravadora do produtor inglês Lewis Robinson. Ao lado de Os Tucumanus na compilação musical, estão artistas como Rodrigo Amarante, Karina Buhr e Arnaldo Antunes.

De acordo com Clóvis Rodrigues, vocalista da Os Tucumanus, a banda foi destacada como representante do Norte, no que é produzido de mais novo por aqui. Ainda segundo ele, a banda está muito feliz por ter mais uma oportunidade de mostrar o seu trabalho e com um alcance maior, já que se trata de uma coletânea produzida por estrangeiros.

“O primeiro contato que tivemos foi com a assessoria da Brasil Music Exchange, que fez o ‘link’ com Lewis Robinson. A coletânea abre um leque de possibilidades relacionados à divulgação do nosso trabalho, e até mesmo relacionando ele com festivais na Europa, a partir de agora, no segundo semestre”, elucida ele sobre a “Rolê – New Sounds Of Brazil”, lembrando que ainda não há nada confirmado sobre shows no continente. A música “Churrasco de Gato” foi escolhida pela produção do BME, por meio da plataforma SoundCloud. A partir do envio do material fonográfico, na sequência, este foi enviado para a produção do selo Mais Um Disco, que pertence a Lewis Robinson.

Já para o músico Rosivaldo Cordeiro, descobrir que uma de suas músicas está inserida na coletânea da BME foi uma grande surpresa. “Quando o Denilson (guitarrista da Os Tucumanus) disse que eles estavam na coletânea, eu não sabia que estava também. Depois, quando me avisaram, fiquei muito surpreso”, revela o artista. Para ele, o que irá perdurar nessa experiência é o resgate de uma das mais tradicionais sonoridades da Amazônia.


“Aos 25 anos de carreira, depois de ter produzido boa parte dos artistas do AM e ter contribuído com o grande sucesso ‘Tic Tic Tac’ ao lado do Carrapicho, me sinto muito satisfeito em ter resgatado a guitarrada amazonense e poder estar difundindo-a mundo afora, através do mundo digital”, destaca Cordeiro. A faixa “Cumbia do Amor” faz parte do álbum Guitarreiro, lançado recentemente no iTunes.

Disseminação

E na Europa há uma produtora musical engajada na difusão da nova música latino-americana, e mais precisamente, do Norte brasileiro. A também Dj Elô Barbosa, natural de Goiânia (GO), vive em Toulouse, na França, e foi uma das primeiras profissionais do ramo a divulgar o som de Rosivaldo Cordeiro no continente europeu, seja por meio do que ela toca nas baladas ou por meio da mixtape “Arroz com Pequi”, que ela mantém no Mixcloud e onde já incluiu músicas do artista e da cantora Márcia Novo.

“O Norte do Brasil é uma das regiões que mais foram influenciadas pelos ritmos das outras áreas geográficas das quais falo (América Latina, África e Caribe). Por isso, nos meus sets ou mixtapes sempre há músicas do Pará, Amapá e demais estados bem representados. São regiões onde se misturam as linguagens rítmicas brasileiras com cumbias, merengues e zouks, que também se encontram em outras partes do mundo. É muito importante para mim defender essa riqueza cultural do Brasil”, coloca ela, que além da França, já tocou na Espanha e em Portugal.

No caso de Cordeiro, foi ele quem fez contato direto com Elô, depois da DJ ter publicado uma mixtape sobre a cumbia no Brasil para a revista inglesa “Sounds And Colours”, segundo Barbosa. Elô afirma ainda que, nas pistas europeias, as pessoas reagem muito bem às guitarradas, cumbias e merengues.