Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Companhia de Teatro apresenta peça de rua ‘Onde comem 3 comem 6’ no Amazonas

O espetáculo da Companhia de Teatro Vitória Régia, que teve estreia em Novo Airão no final de janeiro, será apresentado em praças e espaços públicos de Manaus e dos municípios de Iranduba e Manacapuru

Espetáculo da Vitória Régia foi desenvolvido no formato de Teatro de Rua

Espetáculo da Vitória Régia foi desenvolvido no formato de Teatro de Rua (Divulgação e Arquivo AC)

A Companhia de Teatro Vitória Régia promove uma viagem das origens do Teatro de Rua na Antiguidade até a realidade contemporânea da cultura e da política no Amazonas em sua nova montagem, “Onde comem 3 comem 6”. O espetáculo, que teve estreia em Novo Airão no final de janeiro, será apresentado nos próximos dias em praças e espaços públicos de Manaus e dos municípios de Iranduba e Manacapuru (confira a Lista).

Desenvolvida especialmente para o formato de Teatro de Rua, “Onde comem 3 comem 6” parte do diálogo entre dois personagens para refletir sobre temáticas como a política cultural, o uso do espaço público e o descaso com segmentos básicos como saúde, transporte ou educação. Os personagens em questão são dois ex-professores, um homem (Tiago Oliveira) e uma mulher (Helena Almeida), que trocaram as salas de aula pelo trabalho nas ruas, em busca de melhores condições de vida.

“Ele deixou de ensinar Matemática para catar papelão e latinha, o que lhe permite ganhar mais do que numa sala de aula. Já ela deixou de ensinar Literatura para ser manicure ambulante. E eles questionam a educação, a saúde, a política, fazendo uma série de críticas sociais”, resume Nonato Tavares, que assina a codireção e a cenografia da peça.

‘Espírito da rua’Além do casal, um outro personagem aparece na encenação: o Espírito da Rua. “Ele pontua o espetáculo, falando sobre o teatro grego e os primórdios das artes cênicas, até chegar ao teatro hoje feito nas ruas e a ocupação dos espaços públicos”, explica Tavares, que faz o papel.

O uso do espaço público, segundo ele, é um dos temas dominantes da montagem. “Questionamos e fazemos uma crítica a respeito do uso público das praças e das ruas da cidade. Vemos esse espaço como patrimônio, onde podemos interferir de forma criativa com a arte”.

O texto da peça “Onde comem 3 comem 6” foi escrito pelo escritor e dramaturgo Zemaria Pinto, meio que sob encomenda da Vitória Régia. “Batemos um papo com ele, lemos vários textos, para propor uma montagem em torno de algumas questões, principalmente do teatro. Exemplo disso é o espaço físico para ensaios e apresentações, que é difícil de conseguir na cidade. Daí veio a ideia de que o teatro começou na rua. Enfim, é um retorno às origens do Teatro”, recorda Tavares.

“Onde comem 3 comem 6” foi apresentada pela primeira vez em Novo Airão, no final do mês passado. No sábado, a peça será encenada na Vila de Paricatuba, em Iranduba, e em Manacapuru; e, no domingo, novamente em Iranduba. No dia 13, quinta-feira, terá sua primeira encenação em Manaus. Além das apresentações agendadas, haverá outras apresentações-surpresa em diferentes datas e locais.