Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Ator e escritor Antonio Calloni publica novo livro

Autor narra histórias de bastidores de cinema, de novela e de vida em “diário inventado”. Calloni já definiu seu livro como “um diário inventado”

Em ‘Salve Jorge’, Mustafá infanta ao descobrir a verdade sobre a adoção de Aisha

Apaixonado por Manaus, Calloni se diz aberto a convites para lançar seu livro na cidade (Divulgação)

Além de astro das novelas globais e do cinema, Antonio Calloni é também um escritor de produção notável: desde 1999, quando estreou com “Os infantes de dezembro”, ele vem lançando praticamente um livro a cada dois anos. O exemplar mais recente de sua bibliografia chegou às livrarias há poucas semanas: “50 anos inventados em dias de sol (e algumas poesias)”, que reúne episódios de sua vida e de sua vivência atrás das câmeras, na TV ou no cinema.

Calloni já definiu seu livro como “um diário inventado (?) que vai dos meus 49 aos 51”. “Conto histórias de bastidores de novela, de cinema, de vida... Não chego ao nível sublime da fofoca, mas tenho a minha graça”, escreveu ele, num post em redes sociais. A “invenção” de que o autor fala, porém, tem mais a ver com o ofício da escrita do que com a ficção.

“O que sobressai mais é a palavra, a narrativa. A palavra e a narrativa são sempre reais. Inventadas ou não”, declarou ele, em entrevista por email à reportagem. Nas 256 páginas do livro, vários elementos contribuem para compor a “graça” característica de Calloni. “Todos os episódios e todas as poesias são portadores de provocacões, inquietude, humor (às vezes), amor (quase sempre) e muito alumbramento e admiração pela vida”, descreve ele.

‘Diário solar’

Em sua trajetória literária, Calloni já experimentou diversos gêneros, como o conto (caso do livro “O sorriso de Serapião e outras gargalhadas”, de 2005), a poesia (“Paisagem vista do trem”, 2008) ou fragmentos e impressões diversas (“Escrevinhações de Samuel, o Eterno”, 2010). Ao projeto que lhe surgiu de um “diário inventado”, logo se uniram as ideias de luz ou vida natural – daí os “dias de sol” do título. “Queria um diário solar. Coisas leves, engraçadas. Algumas mais densas, pesadas, mas sempre estando em comunhão com a vida e sua lógica misteriosa”, explica.

Para Calloni, qualquer tema ou história pode trazer inspiração. “Tudo serve para a escrevinhação”, comenta ele, que iniciou na literatura antes de pisar nos palcos ou estúdios: “A literatura apareceu antes. Aos 13 anos. A criação sempre nos leva a outra coisa”.

Longe dos palcos, das câmeras e do teclado, o ator e escritor se dedica a outra de suas paixões: a pescaria. A atividade, ele revela, já lhe trouxe algumas vezes à capital amazonense, no caminho para algum oásis da pesca na região.

“Sou apaixonado por Manaus. Sempre passo por aí quando vou pescar no Sucunduri (em Apuí), no Itapará (no Sul de Roraima)”, conta ele, que se diz aberto a propostas para lançar “50 anos inventados em dias de sol” em Manaus: “Se tiver um bom convite, com prazer”.

Personagem se revela grande vilão

Se, até aqui, ainda havia dúvidas sobre a índole do líder LC, de “Além do horizonte” (Globo), Antonio Calloni afirma: “Ele é um vilão doente”. Nos próximos capítulos, seu personagem deixará claro quem é que está no comando da Comunidade e mandará Tereza (Carolina Ferraz) e Hermes (Alexandre Nero) para a prisão. O golpe não comprometerá só o destino dos amantes, mas também deixará o grupo ainda mais vulnerável. Ainda assim, será a cartada que LC vinha guardando como vingança pela traição dos sócios.

“E não é pelo caso amoroso dos dois, não. Disso ele já sabe faz tempo! Ele os mandará à prisão porque a dupla está desviando o dinheiro dele e querendo assumir os negócios”, conta o ator que interpreta o papel.

A partir desta semana, será mostrado que, durante todo esse tempo, LC monitorava e manipulava Tereza. Mas, para Calloni, ele não é “mau por ser mau”. “Apenas foi influenciado por uma ideia, no passado, e a adotou. Ele foi para o ‘lado negro da força’, como o Darth Vader”, explica Calloni, comparando LC ao vilão de “Guerra nas Estrelas”.

Nesta sexta, o líder dará à polícia um dossiê contra Tereza e Hermes. Com a prisão dos dois, porém, a Comunidade poderá ser descoberta.