Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Gaúchos lançam o livro ‘Amazônia - Estradas d’água’ na 2ª Feira Transpo Amazônia

O lançamento nacional da obra, produzida pelo jornalista e fotógrafo Fabiano Mazzotti com a escritora Marli Tasca Maragoni, retrata o transporte na bacia amazônica

Mazzotti trocou a fria Bento Gonçalves (RS) pelo clima equatorial

Mazzotti trocou a fria Bento Gonçalves (RS) pelo clima equatorial (Evandro Seixas)

O jornalista e fotógrafo gaúcho Fabiano Mazzotti decidiu sair de Bento Gonçalves (RS) em busca de novas experiências e perspectivas de vida. Foi com esta motivação que ele trocou as terras frias do Sul pelo clima quente e úmido da Floresta Amazônica, onde produziu, com a escritora Marli Tasca Maragoni, o livro “Amazônia – Estradas d’água”. O lançamento nacional da obra acontecerá no dia 21 de maio, durante a abertura do evento Transpo Amazônia, no Studio 5 Centro de Convenções.

O livro de 180 páginas revela, por meio das fotografias de Mazzotti e dos poemas de Maragoni, a vida de quem precisa se locomover por meio de embarcações. Além de uma mostra da flora e fauna, a obra procura refletir o estilo e o modo de vida dos ribeirinhos. “Saí do Sul em busca de um estilo de vida totalmente diferente. E aqui certamente é o mais distinto; o clima, os rios e os ribeirinhos me surpreenderam. As pessoas ainda desconhecem as implicações de viver em um lugar tão inóspito”, frisou.

Para fechar a edição do livro, Mazzotti permaneceu entre o Amazonas e o Pará durante seis meses, em três diferentes épocas do ano. “Preocupado em chegar o mais próximo possível da realidade, escolhi três diferentes momentos para acompanhar o ciclo das águas que regem toda a vida por aqui”, detalha o fotógrafo.

A escritora Marli Maragoni passou dez dias no Amazonas, transitando pelos rios, a fim de assimilar a atmosfera amazônica para se inspirar. “As composições textuais correspondem à minha experiência com cada uma das imagens. Os leitores poderão ter interpretações diferentes das fotos após a leitura do poema”, sugere a autora.

Logística

O projeto do livro foi financiado por meio da Lei Rouanet, com patrocínio da empresa de logística Transportes Bertolini Ltda. O local escolhido para o lançamento coincide com a abertura da 2ª Feira e Congresso Internacional de Transporte e Logística – Transpo Amazônia, entre os dias 21 e 23 de maio no Studio 5. “Uma das propostas do livro é lançar um olhar crítico sobre a situação de quem vive e transita sua cultura pelas águas e não pela terra”, observa Mazzotti.

Fotos e poemas

As fotografias escolhidas para compor o livro foram selecionadas espontaneamente, conforme explicou Mazzotti, que navegou e sobrevoou a região diversas vezes. “A água está sempre presente nas fotos porque a intenção é transmitir a força e importância que ela exerce sobre tudo que precisa circular na Amazônia”, diz.

Entre os poemas escolhidos por Marli Maragoni para ilustrarem as fotos estão aqueles que destacam as barreiras que as populações do interior precisam superar para conseguirem obter suas mercadorias. “Motos que vão transitar em cidades do interior dos Estados da Amazônia precisam ser transportadas em barcos para chegar ao destino”. Outra cena muito comum para quem viaja pelos rios da Amazônia ganhou o seguinte poema: “Nas cintilantes águas desabrocham as sombrinhas: Vitórias-Régias, não pessoas sozinhas”.

Distribuição

Da obra, inicialmente foram impressos 2 mil exemplares; deste total, 400 serão distribuídos gratuitamente em escolas e bibliotecas públicas do Amazonas e do Rio Grande do Sul. Todos os livros receberam legendas e traduções em português, inglês e espanhol.

Os autores esperam conseguir chamar a atenção dos jovens e incentivar autoridades a elaborar políticas públicas em prol daqueles que dependem exclusivamente das águas para sobreviver.

“Encontrar as populações ribeirinhas foi de grande importância para mim, pois eu buscava justamente um contraponto àquele estilo de vida de onde cresci. Pretendo voltar mais vezes. Os caboclos me ajudaram a reencontrar o valor nas coisas simples”, avalia Mazzotti.

Após o lançamento durante a programação da Transpo Amazônia, o livro será apresentado na terra dos autores, na cidade de Bento Gonçalves, no próximo dia 6 de junho.