Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Imbaúba e Canto de Várzea realizam show com vertentes amazônicas em Manaus

Os grupos regionais se apresentarão juntos neste sábado (26), no Teatro Amazonas, tendo vários convidados especiais para uma noite dedicada à Amazônia

O grupo Imbaúba foi fundado há cinco anos, tendo como líder o poeta Celdo Braga

O grupo Imbaúba foi fundado há cinco anos, tendo como líder o poeta Celdo Braga (Arquivo/A Crítica)

O cotidiano, a cultura e as sonoridades da Amazônia estarão presentes neste sábado, no Teatro Amazonas, por meio da apresentação dos grupos Imbaúba e Canto de Várzea, dois grandes representantes da música nortista. O show, intitulado “Duas Águas”, é complemento do feito ano passado, na Casa de Cultura João Santos, em Santarém, com a participação dos grupos musicais de Manaus e Santarém.

Na noite, o artista Roberto Lima, que atuou durante seis anos no Imbaúba, fará uma participação especial fazendo a conexão das duas águas: do Tapajós e do Amazonas. Além dele, Marcia Novo e Salomão Rossy também participarão para dinamizar a programação musical desenhada para esse momento.

Fundação e mudanças

Com sete anos de existência, o Imbaúba, liderado pelo poeta Celdo Braga, trabalha atualmente com o formato de quarteto, contando também com Sofia Amoedo, Rosivaldo Cordeiro e João Paulo Ribeiro. São seis CDs gravados: “Mãe da Terra”, “Missa Amazônica”, “Canta Amazônia”, “Natal Amazônico”, “Mãe D’água” e “Coletânea – Cinco anos”.

“Esse diálogo na região, por exemplo, é uma coisa que sempre foi a nossa preocupação. Conseguimos estabelecer isso com Porto Velho, por meio do Flama (Festival Literário da Amazônia), e agora com Santarém, que fomos ano passado, sendo recepcionados pelo grupo Canto de Várzea. Para fazer este retorno, estamos trazendo-os para Manaus, para estarem conosco no palco do Teatro do Amazonas. É arte amazônica, poesia e música, circulando no seu espaço, porque a gente sempre acreditou que os 23 milhões de habitantes que estão na Amazônia sustentariam qualquer projeto artístico-musical desde que a gente pudesse mostrar esse trabalho neste circuito”, disse Celdo Braga.

Renome

O poeta é bastante respeitado no meio artístico, fruto dos seus 32 anos dedicados a cantar a Amazônia, com sua cultura, história, sons, poesia e particularidades.

“Hoje sou (respeitado) de uma forma até oficialmente registrada. Neste ano, as 402 escolas da Semed (Secretaria Municipal de Educação) me fizeram uma homenagem. Fui o escritor homenageado deste ano, eles trabalharam a minha poesia. Este ano, a Câmara Municipal de Manaus me deu um título de mérito, já recebi o mérito legislativo também. O reconhecimento do meu trabalho talvez seja basicamente por uma constante que estabeleci desde o início: cantar a região amazônica. Nunca mudei de ritmo, de projeto, sempre dediquei a minha vida a isso. Hoje, sem sombra de dúvida, me reconhecem como um intérprete da poesia e da sonoridade amazônica, nesses dois projetos que fundei: tanto o Raízes Caboclas, quanto o Imbaúba”.

O show “Duas Águas” está marcado para iniciar às 20h30, tendo aproximadamente uma hora e cinquenta minutos de duração. A entrada está sendo vendida na bilheteria do Teatro Amazonas pelo valor de R$ 30 (preço único).

Serviço

O que é Show “Duas Águas”, com Imbaúba e Canto de Várzea

Onde Teatro Amazonas, Largo de São Sebastião, Centro de Manaus

Quando Neste sábado, às 20h30

Quanto R$ 30 (preço único)