Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Profissional de beleza dá dicas de como tratar os cabelos com a velaterapia

Aprenda com o cabeleireiro Edson Silva, da Escovaria Dry Bar, como se livrar das pontas duplas, solucionar o ressecamento dos fios e deixar o cabelo mais belo

As madeixas recebem o calor do fogo, que ocasiona o arrepio das pontas duplas, facilitando a eliminação delas

As madeixas recebem o calor do fogo, que ocasiona o arrepio das pontas duplas, facilitando a eliminação delas (Lucas Silva)

Atire a primeira pedra quem nunca se pegou com os dedinhos nos cabelos para arrancar fora as tão indesejáveis pontas duplas. Cientificamente conhecidas como tricoptilose, elas representam (entre fiapinhos aqui e ali) um clamor dos cabelos às suas donas, indicando o quão fragilizados e desnutridos os fios podem estar. Para solucionar, em quase 100% este problema, há uma técnica muito difundida nos tempos de nossas avós – quando escovas, chapinhas e a infinitude de cosméticos só residiam nas mentes femininas mais futuristas. Trata-se da velaterapia, que consiste exatamente no sentido mais literal do termo: no tratamento capilar à base das chamas de velas.

Além da retirada das pontas duplas, a velaterapia também soluciona o ressecamento dos fios (por conta do calor direcionado) e pode deixar o cabelo mais sedoso, brilhante e hidratado, de acordo com o cabeleireiro Edson Silva, da Escovaria Dry Bar. O aviso de alerta ecoa, porém, às mulheres de cabelos ralos e de texturas finas, para os quais a técnica não é adequada, pontua o profissional.

“A velaterapia traz uma enorme sensação de redução de volume. Por conta da retirada das pontas duplas, o cabelo vai ficar bem mais finos do que antes”, adverte o cabelereiro.

Procedimento

A preparação para a velaterapia começa com uma pré-escova, de modo a fazer uma tração das pontas duplas, para em seguida serem separadas mechas de dois centímetros, a receber uma trança enrolada. “Nessa mecha vamos passar o fogo presente na vela nos fios (queimando-os de leve), o que na verdade irá queimar mesmo somente as pontas duplas, para fazerem-nas visíveis. No segundo passo fazemos o tratamento do bordado, feito com uma tesoura. Separamos mechas finas do cabelo e fazemos novamente uma tração com o pente, para que as pontas duplas se arrepiem. E com a tesoura vamos cortando o excesso de pontas duplas que ainda não haviam sido eliminadas com o fogo da vela”, completa.

É óbvio que, com o tratamento à base das chamas, um leve cheiro de queimado passe a imperar no ar e nos fios. E é para isso que vem o terceiro passo: o tratamento de lavagem para tirar todo o cheiro da vela e os resquícios de queimado que ficam no cabelo. “Após essa etapa, aplicamos um acidificante para equilibrar o PH do cabelo. Logo em seguida, aplicamos a proteína, que é um tratamento intensivo para esse tipo de método”, pontua Silva.

Uma das etapas indispensáveis para a velaterapia é a massagem capilar, que deve durar cerca de 20 minutos. “A massagem acontece diretamente no couro cabeludo, vai até a extensão dos fios, e é ótima para ativar a corrente sanguínea e ativar o metabolismo, ocasionando o crescimento de fios mais fortalecidos”, afirma ele.

Detox capilar

Outro tratamento promissor contra as impurezas dos cabelos é o “detox capilar”, que retira todo e qualquer tipo de resíduo, sejam colorações, descolorações, progressivas e afins. “Esse método deixa o cabelo mais próximo do natural, elimina qualquer elemento tóxico do cabelo”, lembra Edson, ressaltando que o primeiro passo da técnica consiste na esfoliação capilar, no tratamento de shampoo refrescante e nos produtos de base natural.