Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Saiba a importância da negação no processo de criação dos filhos

Os pais, por muitas vezes, precisam dizer 'não' às crianças com comportamentos e posturas errôneas. No entando, a tarefa não é tão fácil como se imagina

O dizer “não” faz parte do processo de amadurecimento da criança

O dizer “não” faz parte do processo de amadurecimento da criança (Divulgação)

A infância é uma fase de construção do que seremos no futuro. Muito de nossos pensamentos, comportamentos e sonhos são estabelecidos ainda no início de nossas vidas. Neste processo, os pais, por muitas vezes, devem dizer “não” às crianças com comportamentos e posturas errôneas. Dizer “não” é fácil? Certamente não é.

Para o jornalista e músico Raphael Cortezão, pai da pequena Yasmin, de 3 anos de idade, em certas situações é difícil fazer isto, mas, mesmo assim, não deixa de cumprir o seu papel.

“Tudo o que aprendi nos livros e na vida sobre educação familiar me obrigam a dizer ‘não’ sempre que necessário, de forma tranquila, natural e sempre explicando e reforçando os motivos. Nunca devemos ignorar a capacidade da criança de compreender os limites, pois elas não só compreendem como muitas vezes nos desafiam para saber até onde as deixaremos ir”, explicou.

Segundo Cortezão, em 95% dos casos o “não”, seguido de uma conversa séria e franca sobre o motivo da negativa, são suficientes para acabar com os problemas. “É sempre mais demorado, exige paciência para repetir as mesmas coisas diversas vezes, mas funciona. Às vezes tenho que recorrer ao castigo para mostrar a ela o que acontece com quem quebra as regras. Evito ao máximo usar a ‘palmadinha’”, garante.

“Nossa sociedade, nossa vida profissional e pessoal é cercada por regras e convenções que precisam ser aprendidas e respeitadas desde cedo. A escola é o primeiro grande desafio que elas enfrentam. Como pai, encaro como meu dever mostrar à minha filha, nas menores situações do dia a dia, que precisamos buscar o equilíbrio entre exercer nossa liberdade e respeitar os limites impostos pela liberdade dos outros e pela vida em sociedade”, acrescentou.

Um pouco dos dois Em casa, o jornalista garante que diz mais “não” para Yasmin do que sua esposa, embora também seja o mais bagunceiro. De acordo com ele, muitos pais não entendem que não existe contradição entre esses dois comportamentos.

“Você pode ser divertido e impor limites, rolar na grama molhada e dar bronca quando a criança toma um brinquedo do colega sem pedir. Sempre mantenho em mente que o respeito e o amor são a base da relação que os pais constroem com seus filhos. Quem pensa em impor limites ou respeito por meio do temor está construindo uma casa sobre a areia, como diz a Bíblia. Ao primeiro sinal de tempestade, a casa cai, o respeito se vai. Explicar os motivos das atitudes ajuda as crianças a perceberem que trata-se de zelo”.

Valores

O bailarino Baldoino Leite se pergunta sempre como educar a filha, Valentina Andrade, de cinco anos. Mas, na dúvida, ele utiliza dos exemplos de educação e dos valores morais e éticos que seus pais lhe passaram.

“Existem momentos que são difíceis dizer ‘não’ para uma princesa tão linda e encantadora como a Valentina, mas, sempre que existe a necessidade, procuro explicar o motivo. Às vezes, eu e minha esposa utilizamos o método do cantinho do silêncio, um lugar reservado para refletir sobre aquilo que ela fez de errado. Foi uma forma que encontramos para não bater em nossa filha. Graças a Deus tem dado certo”.

Ambos os pais entrevistados relataram que suas filhas, na hora que receberam o “não”, já reagiram de diversos modos, como ignorar totalmente, fazer escândalo, chorar sem parar por vários minutos, entre outras coisas.

Análise

A psicóloga Ana Caroline Ferreira explica que o “não” é importante porque introduz na vida da criança a disciplina. “O dizer ‘não’ faz parte desse processo. Quando os pais dão ordens diferentes para a mesma situação, a criança acata a ordem que é mais agradável. Não existe idade para começar a disciplinar, em cada etapa do desenvolvimento da criança existe um conhecimento daquilo que se pode ou não fazer”.

A profissional revelou que existem várias maneiras de dizer o “não”. Uma delas é falar: “Eu amo você, mas o que está fazendo é errado”. “A segurança dos pais gera sentimento de tranquilidade e a criança compreende que a negação das suas vontades não está vinculada com o amor de seus pais”, afirmou Ana. “Os pais podem utilizar do castigo, é uma forma também de disciplinar”, complementou.

Conforme a psicóloga, os erros mais frequentes dos pais na hora de executar esta difícil missão é que muitos, após terem dito “não”, voltam atrás cedendo ao pedido das crianças. “Esse é um dos maiores erros na educação, pois os filhos percebem que quem está no comando não são os pais, mas sim suas vontades”.