Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Após as extravagâncias da Copa, é hora de recuperar o corpo e reverter os danos ao organismo

Nas ruas da capital amazonense não foi difícil encontrar pessoas que passaram da conta, seja pelo consumo excessivo de bebidas alcoólicas ou de comidas gordurosas. O prejudicado com tudo isso foi o organismo

Além das bebidas, os petiscos ricos em gorduras foram os preferidos neste período de Copa do Mundo

Além das bebidas, os petiscos ricos em gorduras foram os preferidos neste período de Copa do Mundo (Reprodução)

O período da Copa do Mundo pode não ter favorecido a todos os setores, mas se teve um que certamente lucrou bastante foi o de bebidas. As cervejas, por exemplo, apresentaram um aumento de 12% no volume de produção, comparado ao mesmo período do ano passado, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil). Números maiores, maiores excessos. Nas ruas da capital amazonense não foi difícil encontrar pessoas que passaram da conta, seja pelo consumo excessivo de bebidas alcoólicas ou de comidas gordurosas. O prejudicado com tudo isso: o organismo.

De acordo com a nutricionista Luciana Santana, os intestinos de muitos torcedores foram “agredidos” durante o evento futebolístico, por isso é preciso tomar cuidado.

“O intestino é considerado como o nosso segundo cérebro, devido sua profunda relação com a pele, o humor, a vitalidade, a disposição e o controle de peso. Tudo o que comemos e bebemos em excesso cai como uma ‘bomba’ no organismo, que tem dificuldade em digerir tudo. Sobrecarregado, o sistema digestivo não consegue eliminar os resíduos que acabam se acumulando, intoxicando todo o organismo e liberando toxinas, principalmente para o fígado, rins e pele. Sendo assim, a recomendação nutricional para a recuperação pós-Copa seria aderir uma alimentação mais leve, equilibrada, rica em fibras, vitaminas e no mínimo dois litros de água por dia”.



Ainda de acordo com a profissional, especialista em Obesidade e Emagrecimento, nesta temporada de desintoxicação devem ser incluídos na dieta os seguintes alimentos: “Chá verde, chá de hibisco ou chá de cavalinha para estimular a eliminação de toxinas; sucos de frutas com combinações termogênicas e antioxidantes, como melancia e chia, laranja com cenoura e gengibre; limão com hortelã e mel; abacaxi com coco; melão com castanhas; e ainda o suco verde”.

Outras dicas importantes são tomar água de coco natural, preferir vegetais orgânicos, evitar carnes vermelhas, utilizar açafrão  ou cúrcuma em arroz integral, colocar quinua na sopa, aumentando a reparação do organismo; e abusar do alho, gengibre e cebola, pois possuem ação desintoxicante e anti-inflamatória.

Problemas

Segundo Luciana, o prejuízo imediato do excesso de álcool no organismo é caracterizado por desconforto abdominal, dor de cabeça e nas articulações, inchaços no rosto e nos membros. No final das contas, o segredo é não exagerar e procurar ter uma alimentação saudável. 

“Dor na boca do estômago, azia, náuseas e vômitos podem ocorrer pela inflamação aguda gástrica, chamada de gastrite alcoólica. Mas um dos mais prejudicados é o fígado. São bastante conhecidas as inflamações progressivas e severas provocadas pelo alcoolismo crônico sobre o fígado, cujo estado avançado pode ser a cirrose, até hoje incurável e sujeita ao difícil transplante hepático”, acrescentou.