Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

A vida e a carreira após o horário nobre na televisão

Cantores locais falam sobre o que mudou após participarem de grandes realities de música nos últimos anos

Elias Moreira continua cantando na noite em carreira solo e na banda Orion

Elias Moreira continua cantando na noite em carreira solo e na banda Orion (Divulgação)

A música é algo presente na vida de qualquer pessoa, independente de sua classe social, religião ou crenças. Quem nunca cantarolou por aí? Prova que este segmento contagia o público é o aumento de realities voltados à música, mas será que o retorno dado por muitos é o esperado pelos artistas? Na edição de hoje, o BEM VIVER revela o que mudou e como anda a carreira de alguns artistas locais que ganharam destaque em realities de música.

Participante da primeira temporada do The Voice Brasil, Elias Moreira (foto principal) explicou que sua carreira pode ser analisada em antes e depois de ter participado do reality. “Para alguns cantores, o programa teve uma importância muito grande, pois passaram a viver de música. Eu não, eu já vivia, tinha carreira, tava batalhando há bastante tempo, são quase 13 anos de carreira. A mudança foi no interesse maior do público pelo meu trabalho, interesse da mídia, dos contratantes”, disse o artista natural de Boa Vista, que, além da carreira solo, canta na banda Orion.

Se participaria novamente do The Voice, ele disse que esta é uma pergunta recorrente do público. “Se pintasse outro reality com um formato tão interessante quanto do The Voice, eu participaria. Algumas pessoas me perguntam se eu me inscreveria novamente, eu nem sei se pode, mas, mesmo se pudesse, eu não iria. Já dei o meu recado e foi um recado bem bacana. Fui o representante do Norte, minha participação fez com que outros artistas se motivassem e fizessem o mesmo, e eu fico super feliz por isso”. Futuramente, Moreira, que está noivo há pouco tempo, pretende lançar um álbum, mas, por enquanto, o desejo é de trabalhar ainda mais.


Lucros

Sexto colocado do “Ídolos” de 2009, Marcos Paulo (na foto acima, com a filha) viu sua carreira ir de vento e popa após sair do programa.

“Quando saí foi muito bom para mim musicalmente. Eu não era conhecido, ganhava R$ 100 para cantar quatro horas em barzinho. Após o programa, eu viajei bastante para os interiores do Estado, fiz muitos shows pela Prefeitura de Manaus e comecei a ganhar uma grana legal. Fiquei dois anos trabalhando intensamente com a música e ganhando bem. Depois de dois anos, a procura por shows caiu. Foi aí que comecei a pensar em outras coisas que podiam me ajudar financeiramente, mas eu só sabia cantar, só que queria outros horizontes”, lembra Paulo, que, junto de seu amigo Marinho Bello, atual companheiro de banda (intitulada Vertce), montou a produtora Vertce Produções que produz vídeos e clipes.

Além disso, o cantor passou a investir também no ramo de alimentação, com apoio de sua esposa que já atuava na área. Ele abriu o Buffet Bordon, o que consome boa parte do seu tempo.

“Estou tendo mais trabalho no ramo da alimentação do que com a produtora e shows. Acabo os deixando em segundo plano. Há bastante espaço para tocar em Manaus, mas estou muito ocupado para correr atrás de shows, fica difícil de conciliar, mas em breve vou me dedicar mais”, disse o músico, que há poucos meses se tornou pai da pequena Eduarda. “É uma experiência única, não imaginava que ia amar uma pessoinha tão pequena”, finalizou o artista, o qual gostaria de participar de outro reality.


Sem retorno

Em 2010, o cantor Klinger D’Castro (foto) participou do “Ídolos”, mas, ao contrário de Marcos Paulo, não teve retorno – ficou entre os 30 finalistas. Porém, durante o tempo que ficou em São Paulo, onde era gravado o programa, se encontrou musicalmente. “Não ajudou na minha carreira. Quando sai não tive muitos shows até porque não tinha um estilo, não era ainda cantor sertanejo, não tive tanta repercussão. Na viagem, eu vi que o sertanejo estava para estourar e, quando voltei para Manaus, falei para minha irmã que seríamos uma dupla sertaneja”.

A partir disso nasceu a dupla Kelly & Klinger, hoje uma das de maior destaque do Amazonas. Atualmente, a dupla está em Goiânia divulgando seu trabalho e depois seguem para Brasília. Além dessas cidades, os irmãos já tocaram em Fortaleza e São Paulo. Klinger não pretende mais participar de nenhum reality.


Comparação

Em 2012, a Ketlen Nascimento (foto) decidiu tentar a sorte novamente no horário nobre, mas, dessa vez, participando do “Ídolos” – ficou também entre os 30 finalistas. Contudo, segundo a cantora, o retorno não se comparou ao do quadro “Os imitadores”, do “Domingão do Faustão”, quando foi a grande vencedora.

Atualmente, Ketlen, formada em Psicologia, se divide entre suas aulas de musicoterapia na Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI/UEA) e os shows. A cantora de voz potente está em processo de desenvolvimento de seu segundo álbum, ainda sem data de previsão de lançamento.